Por Guilherme Coimbra com informações de Monique Vilela

Zezinho se desculpou com a torcida paranista e prometeu recado dentro de campo (Monique Vilela/Banda B)

Pivô de uma polêmica envolvendo o Paraná Clube, em 2014, quando atuava pelo Atlético, o meia Zezinho agora vestirá a camisa do Tricolor três anos depois. Questionado pela declaração feita quando ainda defendia o rival, o jogador se desculpou com a torcida paranista, afirmou apenas ter rebatido provocações e espera dar a resposta dentro de campo.

De volta ao futebol paranaense após três temporadas, o meia Zezinho celebrou o retorno. “Muito feliz de retornar ao Campeonato Paranaense. É um torneio que exige muita intensidade, tem um nível bom. Estou muito feliz de estar vestindo a camisa do Paraná, é uma oportunidade muito boa para mim. Quando surgiu a proposta, eu não hesitei e em questão de dois ou três dias já fechei negócio. Estou muito feliz e espero almejar coisas boas junto do clube e dos meus companheiros”, destacou.

Envolvido em polêmica com o Tricolor quando vestia a camisa do Atlético, o meia se desculpou e disse que a atitude foi apenas para rebater as provocações feitas pelo atacante Giancarlo, camisa 9 do Paraná na época. “Talvez eu tenha me expressado um pouco errado em ter atingido a instituição. A minha intenção, é claro, foi rebater o jogador [Giancarlo] e não o clube ou a torcida”, afirmou. “Eu apenas rebati. Sou assim, tenho esse temperamento. O clube que eu estiver, vou estar defendendo ao máximo. Naquele momento eu acho que foi falta de respeito do jogador e eu me coloquei na posição de defender a camisa que eu estava no momento. Quero deixar bem claro e pedir desculpas ao clube e à torcida, pois foi apenas para rebater uma declaração e não faltar com respeito”, completou.

Agora com camisa do Paraná Clube, Zezinho espera corresponder as expectativas dentro das quatro linhas. “Recado eu quero dar dentro de campo. Joguei três anos no futebol paranaense, então muitos me conhecem, sabem do meu estilo de jogo. Podem ter certeza que vou sempre ser um guerreiro e vou almejar coisas boas”, disse.

Realizando a pré-temporada com a equipe no CT Ninho da Gralha, o jogador deixou a cargo do técnico Wagner Lopes a escolha sobre sua função dentro de campo. “Eu faço duas, três funções no meio-campo. Varia muito do esquema tático. Me sinto bem como segundo volante ou como um 10 mais clássico. Vai variar do esquema que o professor Wagner for montar e ele me conhece e sabe como eu posso render mais”, finalizou.