Por Guilherme Coimbra com informações de Monique Vilela

Wagner Lopes poderá contar com o meia Guilherme Biteco para o duelo contra o Bahia (Monique Vilela/Banda B)

Em boa fase na temporada, o Paraná recebe o Bahia, nesta quarta-feira (8), na Vila Capanema, pela segunda fase da Copa do Brasil. Em entrevista coletiva na véspera do duelo, o técnico Wagner Lopes revelou que deve contar com Guilherme Biteco na partida e ressaltou a motivação do grupo para buscar a classificação no duelo de tricolores pela competição.

Eu sinto o grupo muito motivado por conta do adiamento e principalmente a importância e a visibilidade que a Copa do Brasil tem. Sabemos que é um jogo difícil, muito estratégico, que precisamos saber marcar, saber sofrer e explorar as chances que nós vamos ter”, destacou o treinador em entrevista à imprensa.

O treinador analisou a dificuldade do duelo diante do Bahia e pediu eficácia tanto atrás, quanto na frente, para aproveitar as chances que o Paraná tiver ao longo da partida. “A qualidade individual de cada jogador é indiscutível. Nós sabemos que é um grupo que já vem com uma base há algum tempo. Não só na Série B do ano passado, que nós jogamos contra, mas também no profissional. O Guto [Ferreira] dispensa comentários, já vem fazendo grandes trabalhos há um bom tempo. Sabemos que é um duelo difícil, não podemos cometer falhas, porque a probabilidade do adversário aproveitar é grande. E, ao contrário, as oportunidades que nós tivermos, temos que aproveitá-las”, disse.

Ainda sem ter atuado em um jogo inteiro pelo Tricolor, o meia Guilherme Biteco vem evoluindo fisicamente e já reúne condições de ser relacionado para o duelo contra o Bahia. O treinador enalteceu a qualidade do meio-campista e confirmou que pode contar com ele para a partida.

Eu dou moral para o [Guilherme] Biteco todos os dias. Nos treinamentos a gente conversa bastante. Eu prefiro falar do coletivo, mas individualmente tem qualidade e as dores vêm melhorando a cada dia. O condicionamento está melhor, então nós esperamos contar com ele sim”, declarou Lopes.

Diferente da primeira fase da Copa do Brasil, na segunda fase o empate leva a decisão para os pênaltis. “Na minha visão, o estado profundo de jogo é diferente do estado de treino. Então, a parte mental na hora da vaia e do estádio lotado, é fundamental para você bater o pênalti. Nós procuramos conscientizar o atleta de que ele vai bater no treino da mesma forma como no jogo”, enfatizou. “O Léo tem uma envergadura muito boa. Uma explosão enorme e um bom pegador de pênalti. Esperamos não precisar, obviamente, mas é claro que é importantíssima a presença do goleiro. O Marcos também tem uma calma e uma leitura grande. Tenho certeza que, se precisarmos, os dois vão dar conta do recado”, finalizou.

O Paraná recebe o Bahia nesta quarta-feira (8), às 19h30, na Vila Capanema, em duelo válido pela segunda fase da Copa do Brasil. Quem avançar, vai encarar o ASA-AL.