Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Wagner Lopes colocará força máxima na partida da Copa do Brasil. (Monique Vilela/Banda B)

O Paraná conheceu a primeira derrota no clássico para o Coritiba, mas a derrota não mudou em nada o método de trabalho da equipe. O técnico Wagner Lopes manteve o rodízio entre os jogadores e escalou um time praticamente reserva pensando na estreia da Copa do Brasil na próxima quarta-feira (08).

Lopes afirmou que pretende continuar trabalhando da mesma forma e elogia a atuação dos jovens atletas apesar do resultado negativo. “Momento algum passa pela minha cabeça me abalar e deixar de seguir minha convicções. Duelamos bem, tivemos boas chances de gol. Porém, nós insistimos muito nas bolas na primeira trave. Claro que também tem o mérito do adversário e acredito que estamos no caminho certo”, comentou.

“Tenho que ressaltar uma situação. O nosso time é muito jovem e tenho que desenvolver uma maneira de jogar. Começamos o jogo muito nervoso e fazendo muita bola longa. A gente vê com bons olhos a partida, duelamos da melhor maneira possível”, complementou o treinador.

Quase dois mil paranistas estiveram no setor destinado ao visitante e o comandante elogiou o apoio dos torcedores durante os 90 minutos. “A nossa torcida nos apoiou e incentivou durante o jogo inteiro. Todo mundo comentou que a torcida aplaudiu e todos fizeram força para vir em grande número. Isso dá força para nossos jogadores”, declarou.

O Tricolor terminou a partida com 10 jogadores depois da expulsão de Zezinho que acertou uma cotovelada em Carlinhos. O técnico revelou que o meia pediu desculpas para os companheiros no vestiário e ainda tem dúvida se o cartão vermelho foi justo. “A mão acertou no adversário, mas não vi intenção de acertar. É interpretação do árbitro. O Zezinho vem se doando nos treinamentos e é uma peça importante assim como todos do elenco”, finalizou.

Confira a coletiva do técnico Wagner Lopes: