Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Wagner Lopes não gostou do desempenho do Paraná no primeiro tempo. (Monique Vilela/Banda B)

O técnico Wagner Lopes não saiu satisfeito com a atuação do time reserva do Paraná durante o primeiro tempo na derrota para o Londrina por 2 a 1 pela Primeira Liga. Para o treinador, o Tricolor reagiu na partida somente depois de levar os dois gols.

“Tínhamos que entrar mais ligado e esperto. A bola parada é treinada exaustivamente e não podemos levar os gols que levamos. Outra coisa é o duelo individual e precisamos nos impor mesmo jogando na casa do adversário. Quando ganha, ganha todo mundo e quando perde, perde todo mundo. Temos condições de melhorar. Queremos pegar esse primeiro tempo como lição e o segundo tempo como maneira de reação”, explicou Lopes.

Em contrapartida, o treinador destacou o bom desempenho da equipe durante o segundo tempo. “Nós aceitamos o jogo do adversário sem guerrear. Eu aceito perder, mas brigando por cada espaço do campo. Levamos dois gols de bola parada e isso é inadmissível. Depois da bronca no intervalo, voltamos com outra postura para o segundo tempo”, afirmou.

O grande destaque no lado paranista foi o atacante Bruno Cantanhede que sofreu o pênalti convertido por Jonas Pessalli. “Bruno Cantanhede foi muito bem, ajudou também na parte defensiva e deu opção de profundidade. Eu acho que ele foi muito bem e fez o que nós pedimos”, elogiou o treinador.

O Paraná volta a campo no próximo sábado (25), às 16h30, para enfrentar o Bahia pela segunda fase da Copa do Brasil. A partida é muito importante não apenas dentro de campo já que a classificação rende R$ 680 mil para os cofres do clube.

Confira a entrevista coletiva do técnico Wagner Lopes: