Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Wagner Lopes não descarta time alternativo para próximo jogo do estadual. (Monique Vilela/Banda B)

O confronto entre Paraná e Bahia foi marcado por muita polêmica antes mesmo da bola rolar. Primeiro, a partida precisou ser adiada no dia 26 de fevereiro depois que o time baiano chegou horas antes em Curitiba. Depois, o supervisor da CBF, Pedro Paulo, cometeu uma gafe ao dizer que o Bahia já estava classificado para a terceira fase.

Dentro de campo, o Paraná conseguiu a classificação com a vitória por 2 a 0 e o técnico Wagner Lopes admitiu que a declaração do funcionário da CBF surgiu como motivação para o grupo paranista. “A gente fica triste de ouvir uma coisa assim, mesmo respeitando a opinião de todos. Um representante do órgão maior do nosso país falar isso nos deixa triste e claro que usamos para motivar, mas jogamos contra um campeão brasileiro e não, um funcionário da CBF. A vontade de fazer história é muito grande de todos no Paraná. Todo mundo quer dar o nosso melhor”, declarou.

Já o meia Guilherme Biteco também revelou incomodo não apenas quando a frase do dirigente, mas também com o erro de logística do Bahia que fez o jogo ser adiado. “A falta de respeito deles e da CBF. Fizemos um planejamento Bahia teve logística errada e teve que voltar para Salvador. Agora, eles vão voltar de novo com a derrota”, criticou.

Em relação ao time que entrou em campo, o treinador colocou Diego Tavares no meio-campo e Júnior na lateral-direita e explicou que queria reforçar a marcação, além de ganhar velocidade no contra-ataque. “Conseguimos duelar contra time de Série A e isso fortalece nosso grupo. O mais gratificante é que a proposta que fizemos com as mudanças deram o certo como o Diego Tavares no meio-campo para dobrar a marcação. Também conseguimos um rápido contra-ataque e ainda queremos fortalecer ainda mais essa nossa união dentro de casa. Quero agradecer aos torcedores, ao presidente e só preciso agradecer porque tenho orgulho de fazer parte desse grupo”, disse.

Antes da partida de ida contra o ASA, o Tricolor enfrenta o FC Cascavel pelo Campeonato Paranaense e o comandante não descarta colocar um time reserva. “Temos uma viagem muito longa para Arapiraca e para ser sincero ainda vamos conversar com o departamento médico para daí criar uma estratégia. Ainda não dá para responder de imediato”, concluiu.

Confira a entrevista coletiva do técnico Wagner Lopes: