Valquir Aureliano
Zagueiro pede paciência à torcida e garante sorte diferente no segundo turno da Segundona

Instabilidade. Palavra temida e largamente utilizada ao longo da disputa do Campeonato Brasileiro e, principalmente, na Segundona. É justamente ao comportamento instável que o Paraná Clube credita todas as falhas recentes dentro de casa: nas últimas cinco rodadas, foram três jogos em casa e apenas uma vitória. O clube viu escapar, diante da torcida, a oportunidade de dar uma boa arrancada na competição.

“É um momento de instabilidade, mas acima de tudo a gente sabe o que já fez na competição e o que tem um returno longo pela frente”, defende o lateral Lima, apoiado pelo companheiro de equipe Luciano Castán. “Não era o que a gente tinha planejado e agora mais que nunca temos que ter a cabeça no lugar”, afirmou o zagueiro. Ainda no G4, é de tranquilidade que o Tricolor vai precisar para se manter no topo, afinal, com 28 pontos, o time já não tem gordura pra queimar e tem ASA, Criciúma e Sport na cola, com 27.

Das seis derrotas que o Paraná sofreu no Brasileiro, três foram em casa, justamente na sequência que o time programava encaixar para abrir vantagem e respirar entre os quatro melhores do campeoanto. “O Campeonato Brasileiro é longo e oscila bastante. Tínhamos planejado fazer essa sequência e isso não aconteceu”, lamentou Castán. “O torcedor parnista já sofreu bastante no Paranaense e sei que eles não estão muito contentes, mas agora é ter um pouco de paciência”, pediu o zagueiro.