Por João Pedro Alves
Fotos de Monique Vilela

Os jogos de ida das quartas de final do Campeonato Paranaense terminaram como começaram: com vitória do visitante. Quem garantiu os 100% de aproveitamento dos “forasteiros” foi o Paraná Clube. Mesmo sem poder contar com um torcedor sequer no Ecoestádio Janguito Malucelli por se tratar de um clássico com torcida única, os tricolores repetiram o feito da última semana e venceram o Atlético na noite deste domingo (16). Desta vez, com um 2 a 1 mais sofrido, que só se concretizou no final do segundo tempo com um gol de pênalti de Giancarlo – Lúcio Flávio e Hernani também balançaram as redes.

Com uma vantagem do Paraná, que joga por um empate, os rivais definem quem será semifinalista do estadual no próximo final de semana, provavelmente no domingo (23), na Vila Capanema. O clássico terá mais uma vez torcida única, e apenas os tricolores poderão entrar no estádio.

Ouça os gols do clássico narrados por Caio Junior na Banda B:

0077- CAMP PARANAENSE – ATLETICO X PARANA – 1 GOL LUCIO FLAVIO – 16-03 – CAIO JR 0078- CAMP PARANAENSE – ATLETICO X PARANA – 2 GOL HERNANE – 16-03 – CAIO JR 0079- CAMP PARANAENSE – ATLETICO X PARANA – 3 GOL GIAN CARLOS – 16-03 – CAIO JR

Mesmo visitante, Paraná domina e marca golaço com Lúcio Flávio

Apenas uma semana depois de se enfrentarem pela primeira vez no ano, Atlético e Paraná se reencontraram no Ecoestádio pelas quartas de final do Paranaense. Um novo jogo, uma nova fase. Mas os paranistas trataram de tentar repetir aquela sonora goleada aplicada na Vila Capanema desde o início desta partida que tinha torcida única do rival por questão de segurança.

Talvez inspirado pelas outras partidas do mata-mata, em que apenas visitantes venceram, o Tricolor começou mostrando uma postura ofensiva. Assim, Paulinho chegou com perigo logo cedo com um chute cruzado para fora. O gol mesmo saiu pouco depois, aos 8 minutos. Foi quando um cruzamento foi mal cortado e caiu nos pés de Lúcio Flávio, que da entrada da área bateu com categoria no canto esquerdo para fazer a festa.

A abertura do placar fez com que o Paraná ganhasse ainda mais gás. O lado direito do ataque tricolor, que tinha Paulinho e Roniery, trabalhava em velocidade e teve facilidade em vários lances sobre os rubro-negros. As jogadas eram feitas, mas faltava definir com mais capricho em gol para ficar mais perto da ampliação da vantagem.

Em meio ao volume de jogo paranista, o Furacão esboçou alguma reação em determinados momentos. O time tentou agredir, se esforçou para reverter a desvantagem, mas fez pouco no ataque. O maior perigo levado ao goleiro Marcos foi em uma finalização de primeira de Crislan que passou próxima à trave. Como resultado dessa falta de força ofensiva, o primeiro tempo terminou mesmo com a vitória parcial do Paraná por 1 a 0.

Atlético empata, mas o artilheiro tricolor dá números finais ao clássico

Com o desenrolar da primeira etapa, a expetativa era por uma melhora do Atlético para buscar o empate. O time sub-23 rubro-negro até apareceu mais no ataque do que antes, mas ainda sem a inspiração necessária para de fato ficar perto do gol. Diferente do Paraná, que mais eficiente ficou no quase duas vezes no início da etapa complementar. Primeiro em um chute de Elton após toque de calcanhar de Giancarlo e em uma tentativa do meio do campo de Fernando Gabriel, em que a bola não entrou por alguns centímetros.

Mas quase não é gol, e placar simples era perigoso para o Tricolor. Ainda mais a partir dos 15 minutos, quando o Furacão passou a sair mais determinado para o ataque. Com o crescimento, foram precisos apenas alguns ataques para que os atleticanos encontrassem a igualdade no marcador. E foi de uma forma parecida com o primeiro gol do jogo: após bate-rebate na área, a bola sobrou fora e Hernani soltou a bomba para colocá-la no fundo das redes aos 20 minutos.

O 1 a 1 que se desenhou no Ecoestádio tornou o jogo completamente aberto e indefinido. Antes dominante, o Paraná perdeu volume com a melhora do meio-campo do rival e pela animação que tomou conta do Atlético.

Entre um ataque e outro lá e cá, um lance aconteceu e deu um rumo à partida: um pênalti. Ele foi marcado a favor do Tricolor quando Elton foi derrubado na área por Rodolfo. Giancarlo, o artilheiro do Paranaense, foi para bola e não desperdiçou a chance, bateu no lado oposto ao goleiro para fazer seu nono gol no estadual e colocar o 2 a 1 no placar aos 35 minutos.

Sem mais nada a perder, o Furacão foi do jeito que pôde para o campo paranista para tentar evitar a derrota. Toda a pressa que tinha acabou dificultando que qualquer chance aparecesse. Em contrapartida, o Tricolor se defendia bem lá atrás e ainda saiu em um contragolpe quase fatal, que terminou com um chute na trave de Fernando Gabriel. O placar, porém, não se alterou e o time da Vila Capanema levou uma vantagem importante para o jogo da volta.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 1 X 2 PARANÁ CLUBE

Local: Ecoestádio Janguito Malucelli, em Curitiba (PR).
Data: 16 de março de 2014, domingo.
Horário: 18h30.

Atlético: Rodolfo; Jean Felipe, Ricardo Silva, Lucas Alves e Sidcley; Otávio, Hernani (Juninho), Marcos Guilherme e Harrison (Guilherme); Nathan (Taiberson) e Crislan.
Técnico: Dejan Petkovic.

Paraná: Marcos; Roniery, Brinner, Naylhor e Breno Lopes; Cambará, Elton, Fernando Gabriel e Lúcio Flávio (Júlio César); Paulinho (Paulinho Oliveira) e Giancarlo (Keno).
Técnico: Milton Mendes.

Cartões amarelos: Sidcley, Rodolfo (CAP). Paulinho, Elton (PRC).

Gols: Lúcio Flávio (PRC), aos oito minutos do primeiro tempo. Hernani (CAP), aos 20 minutos, e Giancarlo (PRC), aos 35 minutos do segundo tempo.