O Rio Branco volta ao banco dos réus nesta terça-feira (22), no julgamento que será realizado em uma sessão especial, em Curitiba, durante a 21ª Conferência Nacional dos Advogados. Em jogo, também está o futuro do Paraná Clube, que depende da decisão para saber se joga ou não a Primeira Divisão do futebol paranaense em 2012.

Na pauta dos auditores, está o recurso do Leão da Estradinha contra a decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJD-PR), que puniu o clube comaperda de 22 pontos no Campeonato Paranaensedevido a escalação de jogador irregular. Segundo o advogado de defesa do clube de Paranaguá, Domingos Moro, a intenção é pedir a anulação do julgamento do TJD-PR, sob a alegação de cerceamento de defesa. Moro deixou o pleno na última sessão em protesto à ordem de fala proposta pelo Tribunal.

Entenda o caso

A irregularidade teve início quando o atacante Adriano de Oliveira dos Santos foi registrado junto a Federação Paranaense de Futebol (FPF) como Adriano Oliveira dos Santos. O clube parnanguara se defende, creditando o erro à Federação Paulista de Futebol, onde o jogador também teria registro. Como não encontrou o vínculo correto, a instituição paulista indicou o registro de um atleta homômino, o que acabou gerando a irregularidade.

Adriano de Oliveira dos Santos disputou seis jogos pelo Rio Branco no Campeonato Paranaense de 2011.