Por João Pedro Alves e Monique Vilela

Anunciado no fim da última semana, Ricardo Drubscky foi apresentado oficialmente como treinador do Paraná na tarde desta segunda-feira (7) na Vila Capanema. E se a primeira impressão é a que fica, a do novo comandante pode ser considerada positiva por um motivo: a confiança. Mesmo ainda sem conhecer profundamente o elenco e de contratações ainda estarem por vir, ele afirmou que é possível realizar um bom trabalho na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

O discurso otimista de Drubscky em sua primeira aparição no cargo que era de Milton Mendes serve como uma dose de esperança para o torcedor paranista. Isso porque após o insucesso no estadual, uma reformulação está sendo realizada no grupo de jogadores e ainda não se sabe a cara do Tricolor que vai a campo contra o Sampaio Corrêa-MA no dia 18, na estreia do nacional.

(Foto: Monique Vilela/Banda B)

Drubscky foi apresentado oficialmente pelo diretor Roque Júnior e o presidente Rubens Bohlen (Foto: Monique Vilela/Banda B)

“Conheço alguns jogadores que já joguei contra, mas quem trabalhou comigo foi só o Henrique. À primeira vista, temos um elenco que nos faz acreditar bastante em um trabalho interessante. O clube ainda está pesquisando e buscando jogadores para que o elenco tenha ainda mais força”, destacou o treinador, que volta ao futebol paranaense nove meses após deixar o rival Atlético.

Como desembarcou apenas na noite deste domingo em Curitiba, ele ressaltou que está “começando a viver o Paraná” e ainda não indicou nenhum nome. Mesmo assim, está confiante no trabalho da diretoria e aposta que a mescla entre juventude e experiência que está sendo empregada é o caminho para o sucesso. “É a receita mundial. Não se ganha com time de veteranos ou só de jovens”, disse.

Até o momento, uma lista longa de atletas deixou a Vila e apenas um foi apresentado: o meia Juliano Mineiro. Junto dele, já treinam e só faltam ser oficializados os zagueiros Anderson Rosa e Gustavo. Também estão próximos do acerto os volantes Ricardinho e Rodrigo Celeste, além do meia Bismarck.

Aliado a esse elenco que está sendo formado, outra aposta do clube para a Série B é a experiência de Drubscky na competição. A campanha de maior destaque foi pelo Atlético em 2012, quando conquistou o acesso. É algo que ajuda, mas para o treinador não basta.

“Acredito que posso agregar alguma coisa com essa bagagem. Mas nada disso somará se não tivermos uma unidade e grupo fortes. Vai depender de como vamos entrar na competição”, iniciou Drubscky. “Precisamos de liga, de uma química para que as coisas aconteçam no campo. Ou seja, uma equipe vibrante, que busca vencer dentro e fora de casa, que seja disciplinada e que jogue”, finalizou.

A estreia de Ricardo Drubscky no banco de reservas, no entanto, acontecerá antes da Série B. O primeiro jogo à frente do Paraná está marcado para quinta-feira (10), quando a equipe tricolor recebe o São Bernardo na Vila Capanema no jogo de volta da primeira fase da Copa do Brasil.