Por Guilherme Coimbra com informações de Monique Vilela

‘Nathan Cachorrão’, como é conhecido, foi apresentado como novo reforço do Paraná Clube (Monique Vilela/Banda B)

Vigésimo reforço na temporada, o atacante Nathan foi apresentado pelo Paraná, na manhã desta sexta-feira (24), na Vila Capanema. Revelado pelo Internacional, o jogador de 23 anos ficou marcado pela sua comemoração inusitada que lhe rendeu o apelido de ‘Nathan Cachorrão’. Em sua apresentação, o atleta afirmou se sentir mais maduro em sua chegada ao Tricolor e contou sobre suas características de atuar mais pela beirada do campo, podendo ser o substituto de Vitor Feijão na função.

Fiz toda a minha categoria de base no Internacional como camisa 9. Tinha muita concorrência quando subi para o profissional, tinha o Damião e o Forlán na minha posição. Aí o Dunga aproveitou que sou jogador de velocidade e começou a me utilizar pelas beiradas, onde jogo até hoje”, disse Nathan em entrevista coletiva, na manhã de sexta-feira (24), na Vila Capanema.

Sendo utilizado como segunda opção nos clubes por onde passou, o atacante agora espera emplacar uma sequência e conseguir a titularidade com a camisa do Paraná Clube. “Meu objetivo esse ano é ser titular, pois pelas equipes que passei sempre fui utilizado como segundo tempo, no decorrer da partida, e eu preciso dessa sequência para a minha carreira. Vou trabalhar no dia a dia para ganhar oportunidades e aproveitá-las”, declarou.

Um dos fatores importantes para a rápida adaptação ao novo time é a presença de velhos conhecidos no elenco paranista, os quais Nathan já conhece desde os tempos das categorias de base no futebol gaúcho. “O clube me acolheu muito bem, já tenho amigos aqui no grupo. O [Guilherme] Biteco que já conheço desde a minha infância, o Alex Santana que joguei junto na base do Inter. Está ficando fácil a adaptação porque o pessoal está me acolhendo muito bem”, contou.

Revelado pelo Internacional, o atacante acumula passagens pela Ponte Preta, Operário Ferroviário, Santa Cruz, Brasil de Pelotas-RS e Ceará. A maior sequência de todas foi com a camisa do Xavante, no qual disputou 38 jogos em 2016 em passagem que ficou marcada pelo aprendizado tático.

Entendo que agora com 23 anos eu estou bem mais maduro. Aprendi muito taticamente com o professor Rogério Zimmermann, no Brasil de Pelotas, na questão de acompanhar lateral e da marcação. Eu era um jogador que gostava de jogar com a bola nos pés e agora me sinto mais maduro. Eu acho que neste ano eu vou deslanchar”, revelou Nathan.

Caso tenha o nome publicado no BID ainda nesta sexta (24), Nathan espera estar em campo neste sábado (25), contra o Bahia, às 16h30, na Vila Capanema, válido pela segunda fase da Copa do Brasil. Caso faça sua estreia, o jogador já avisou que quer marcar gol para usar a comemoração que lhe rendeu um apelido um tanto quanto inusitado. “Acho que com gol seria muito legal, utilizando a minha comemoração que eu sempre uso, que é do ‘Nathan Cachorrão’, como me conhecem no Rio Grande do Sul. Depois do gol, eu imito um cachorro e espero marcar para fazer a minha comemoração”, finalizou.