Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Presidente aprova método de trabalho do técnico Wagner Lopes. (Monique Vilela/Banda B)

O Paraná colocou uma equipe totalmente reserva na derrota por 1 a 0 para o rival Coritiba. visando a estreia na Copa do Brasil na próxima quarta-feira (08). Em entrevista à Banda B, o presidente Leonardo Oliveira aprovou a decisão da comissão técnica mesmo com o resultado negativo e lembrou que a permanência na competição nacional é importante para os cofres do clube.

“Todo jogo é importante. O Paraná não pode se dar luxo de uma competição, mas o jogo da Copa do Brasil vale muito financeiramente. Nosso elenco é equilibrado e não temos time A ou B. Nos dois jogos que fizemos foram equilibrados com exceção do Foz e o elenco é capaz de fazer uma boa apresentação. Quarta vamos com tudo para enfrentar o São Bento para conseguir o resultado que precisamos”, declarou o presidente.

Em quatro jogos disputados, o Tricolor adotou o sistema de rodízio, mas segue invicto em 2017. Oliveira explicou que o elenco permite que o técnico Wagner Lopes modifique a equipe e espera conquistar bons resultados durante toda a temporada. “A escolha foi acertada, mas ainda é cedo para falar em resultados. Esse ano nós vamos conseguir criar boas expectativas para o brasileiro, bom resultado no estadual e também na Copa do Brasil. A gente espera ter um elenco capaz para representar bem o Paraná na Série B”, comentou.

Empréstimo de Luiz Otávio

Pouco aproveitado pelo Paraná desde que subiu ao time profissional, o volante Luiz Otávio foi emprestado para o Atlético até o meio do ano. O presidente afirmou que o empréstimo pode ser importante financeiramente para o Tricolor caso o Rubro-Negro decida comprar parte dos direitos econômicos do jogador.

“Da mesma forma que outros atletas estão emprestados para outros clubes, o Tavinho está emprestado para o Atlético. Se ele for contratado, teremos um retorno financeiro e se voltar, poderá ser aproveitado”, concluiu o dirigente.