Por Rodrigo Dornelles

“Não acredito em recuperação de pontos. Ponto perdido não se recupera mais”, assim pensa o novo técnico do Paraná, Marcelo Martelotte. E o treinador chegou em um dia, comandou a equipe no outro, e teve uma estreia amarga. Uma derrota de virada para o Luverdense, na Vila Capanema. Pontos que para o comandante, não podem mais serem recuperados.

Após um com primeiro tempo, o Tricolor voltou do intervalo com o placar favorável,  mas acabou sofrendo a virada. Na visão do técnico paranista, dois tempos distintos. “Da minha parte é precipitado avaliar por um jogo, na verdade 45 minutos, porque a avaliação ruim é de 45 minutos. O primeiro tempo a avaliação é muito boa, agora no segundo tempo é negativa, a gente errou demais. Nós vamos fazer avaliação o quanto antes e dentro das possibilidades, buscar um time o mais forte possível”, comentou Martelotte.

Martelotte mira vitória sobre o CRB na próxima rodada. (Monique Vilela/ Banda B)

Martelotte mira vitória sobre o CRB na próxima rodada. (Monique Vilela/ Banda B)

Falhas de passes, nas bolas paradas, e emocional abalado. Para Marcelo Martelotte, esse foi o roteiro dos primeiros 10 minutos da etapa final da partida. “Primeiro tempo mais organizado, tendo o controle da partida, saindo na frente e criando oportunidades. Saímos inclusive aplaudidos pelo torcedor pelo bom primeiro tempo. Logo no segundo tempo erramos passes importantes, demos a chance de o adversário nos pressionar na bola parada. Sofremos os gols em menos de 10 minutos e sentimos uma certa instabilidade, principalmente emocional”, avaliou o treinador.

O comandante paranista acredita que os problemas na bola parada defensiva foram determinantes não só para os gols, como também desestabilizaram a equipe. “Tivemos muita dificuldade nas bolas paradas no jogo de hoje. Fez nosso time se desorganizar. Aí tentamos empatar de uma forma desordenada, poucas situações, poucas chances para o placar ser diferente. É claro que é um início de trabalho, estamos conhecendo os jogadores, mas já exige trabalho amanhã”, disse Marcelo Martelotte.

Com a defesa bastante criticada, Martelotte garante que não há nenhum problema com o zagueiro Alisson, que perdeu a posição após o Paranaense. “Não tem nenhum problema, pelo que eu sei (com Alisson). A gente trabalhou de ontem para hoje muito em conexão com o Fernando (Miguel). A equipe já estava convocada antes da minha chegada, inclusive. O que posso dizer é que não me passaram nenhum problema com os jogadores relacionados para hoje. Mas eu posso dar certeza a vocês que vou avaliar todos os jogadores o mais rápido possível e trabalhar para jogar os melhores”, afirmou o treinador.

Pontos perdidos

Já pensando na próxima partida, fora de casa, diante do CRB, o técnico tricolor afirma que o objetivo será sempre a vitória e que os pontos perdidos na Vila, não podem ser recuperados. “Em relação ao jogo de terça minha postura é de buscar a vitória sempre. Entendo que não existe recuperação de pontos, pontos que você perdeu não se recuperam mais. Vamos preparados para fazer um jogo difícil em Maceió, mas de qualidade boa, para trazer o resultado”, comentou Marcelo Martelotte.

Cobranças da torcida

Durante a etapa final e após o jogo, a torcida paranista protestou contra o time e cobrou a equipe. Para Martelotte, nada além de uma reação natural ao desempenho do time no segundo tempo. “Eu prefiro a reação do torcedor no primeiro tempo, do que a do segundo, que são reações ao que o time apresentou. Se a gente repete no segundo, o que fizemos no primeiro tempo, a reação do torcedor seria outra. A reação do torcedor é natural e é importante o jogador entender que só ele pode mudar isso. O resultado do jogo passa muito pelo que os jogadores vão fazer dentro de campo, a postura. Existe cobrança em todos os níveis do futebol e o jogador tem que superar”, disse o técnico tricolor.