Da Redação

A partida entre Operário e Paraná deste domingo (9) terá um duelo à parte no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa. Os caminhos da bola se cruzaram e um confronto familiar, de pai contra filho, poderá ser acompanhado nesta quinta rodada do Campeonato Paranaense: de um lado, estará o auxiliar-técnico Carlos Nunes, do Fantasma; do outro, o atacante Carlinhos, prata da casa do Tricolor.

A situação inusitada mudou a relação entre os dois antes mesmo da bola rolar. Nos últimos dias, os postos de “pai” e “filho” foram abolidos e cada um foi para seu canto focar no respectivo trabalho. Após o apito final do jogo, aí sim, aquela relação de 19 anos voltará a ser o que sempre foi.

(Foto: Divulgação)

Carlos e Carlinhos deixam relação pai-filho de lado para jogo deste domingo (Foto: Divulgação)

“Meu pai é o principal responsável pela minha carreira, foi meu treinador no futsal em Ponta Grossa, mas essa semana evitei falar com ele. Nosso time precisa vencer e trabalhei muito para buscar a vitória”, disse Carlinhos, que vem ganhando oportunidades de jogar neste início de temporada e pode ser titular contra o Operário.

E Carlos Nunes, será que abre mão dos três pontos importantes na tabela apenas para ver a felicidade do filho? O pai torce pelo sucesso do jovem boleiro, mas a profissão fala mais alto neste momento. “Eu amo meu filho, mas nesse jogo não posso torcer por ele. Espero sim que ele faça um bom jogo, mas a vitória tem que ser nossa”, afirmou o auxiliar do técnico Gilberto Pereira.

O encontro entre eles pelos gramados, no entanto, não é novidade para a família que vive do futebol. Em 2012, Carlos e Carlinhos se enfrentaram pela Divisão de Acesso do estadual, quando o pai comandava o Serrano (hoje Prudentópolis) e o filho vestia a camisa tricolor. “Naquela ocasião, eu venci por 1 a 0”, lembra Nunes, conhecido como “rei do acesso” no futebol paranaense.

O esperado confronto entre os dois, o jogo entre Operário e Paraná, está marcado para as 17h de domingo no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa.