Divulgação/Paraná Clube
Guilherme Macuglia ainda tem dúvidas sobre quem escalar na lateral esquerda do time

O Paraná enfrenta a Ponte Preta com a missão de bater um adversário praticamente implacável nos seus domínios. Das 15 partidas que disputou no Moisés Lucarelli, a Macaca empatou quatro e perdeu apenas duas vezes em todo campeonato. Se o desafio é difícil, a recompensa é das grandes: caso volte de Campinas com um bom resultado, o Tricolor pode ficar a três pontos do G4.

Sem o volante Sílvio, que cumpre suspensão, o técnico Guilherme Macuglia deve promover a volta de Maycon Freitas, que já disputou onze partidas no Brasileirão, em seis dela como titular. Com características de marcação, o volante entra em campo para tentar frear o terceiro melhor ataque da Série B com 50 gols. “Eu sou um jogador que gosta de marcar e com certeza o Itaqui vai ter mais espaço pra sair”, avalia.

Ofensivo e jogando em casa, a tendência é que o time paulista saia em busca do resultado desde os primeiros minutos. “Já vi a Ponte Preta jogar. É um time que joga em cima do adversário, mas deixa alguns espaços. Acho que vai ser um jogo aberto e a gente tem que aproveitar qualquer chance que tiver”, aponta o volante. Embora ainda não tenha sido confirmado por Macuglia, o time que enfrenta a Ponte deve contar o Thiago Rodrigues; Cris, Brinner e Edson rocha; Marquinho, Lima (Gleidson), Maycon Freitas, Itaqui e Douglas Packer; Ricardinho e Giancarlo.

A Banda B transmite Ponte Preta x Paraná nesta sexta-feira a partir das 20h com narração de Paulo Sérgio.