Divulgação/Paraná Clube
Zagueiro é presença quase garantida na zaga que enfrenta o Bragantino no sábado, às 16h20

De mudanças no esquema tático à composição do time, o Paraná Clube convive agora com a pressão de vencer. Desperdiçar pontos preciosos em casa teve seu preço: ultrapassado por Sport e Goiás na tabela, o Tricolor está a um ponto do G4, mas ainda depende dos próprios esforços para retomar a posição.Ao ser derrotado por Ponte Preta, Barueri e Sport na Vila Capanema, o Paraná deixou de conquistar nove pontos. Na prática, o time perdeu a liderança da Segundona. “”A minha maior revolta era essa. As vezes é triste empatar em casa, mas a se a gente fosse somar todos os pontos que perdemos em casa a gente estaria tranquilo”, avalia o zagueiro Cris.

Poupado nos treinamentos desta quarta, Cris retomou os trabalhos hoje e é presença praticamente garantida na defesa tricolor que tem a missão de parar o ataque do Bragantino, o quinto melhor da Série B com 27 gols. Com boa campanha em casa – cinco das seis vitórias do time paulista foram conquistadas no Estádio Nabi Abi Chedid – a pressão do Tricolor fica ainda maior.

“A gente tem que estar acosutmado à pressão à dificuldade. Estar no G4 é tranquilo porque todos estão correndo atrás de você. Agora é a gente que está correndo atrás dos quatro primeiros”, avalia Cris. Para o jogador, os pontos perdidos em casa poderiam ter dado a tranquilidade que o time não tem nesse encerramento de turno.

No 3-5-2, o provável time que enfrenta o Bragantino deve ter: Zé Carlos; Lisa, Luciano Castán, Cris; Brinner, Lima, Serginho, Welington; Hernane e Giancarlo.