Por Rodrigo Dornelles com informações de Monique Vilela
Marcelo Martelotte gostou do time na primeira etapa. (Monique Vilela/ Banda B)

Marcelo Martelotte gostou do time na primeira etapa. (Monique Vilela/ Banda B)

Apesar de o torcedor paranista ter ficado com um certo gostinho de derrota no empate do Paraná diante do CRB, fora de casa, jogadores e o técnico tricolor entenderam que o ponto conquistado foi importante. Após a partida, o pênalti perdido que abriria o placar para o Tricolor foi lamentado, mas o empate, valorizado.

O técnico Marcelo Martelotte entende que o primeiro tempo do time foi bom, bem organizado, no segundo, avaliou o jogo como mais aberto e, apesar das chances de vencer, valorizou o resultado. “Primeiro tempo bem postado, sem dar chance ao adversário. De uma maneira geral, nos dois tempos, gostei. A organização do primeiro, no segundo um jogo mais aberto”, analisou o treinador. “O mais importante é não desistir, mantivemos a organização e pudemos chegar ao empate. O resultado, senão o ideal, porque tivemos oportunidades de vencer, é importante”, avaliou o treinador.

Quanto aos desfalques por lesão, o técnico paranista admitiu que prejudica a equipe, mas evitou ficar lamentando as perdas. Entendo que todos passam por essa dificuldade. Quem ganha, não reclama. Estou tranquilo, é uma situação ruim, mas que fica potencializada no resultado negativo”, comentou Martelotte.

Na saída de campo, o goleiro Marcos também falou sobre a partida e analisou que o empate foi importante para o Tricolor, por encarar um adversário em boa fase, fora de casa. “Diante das circunstâncias, o empate até que está bom. Foi um jogo para dar confiança. Enfrentamos de igual um time que está acima e tivemos até melhores chances”, comentou Marcão.