Ouça o áudio

A primeira alegria do Paraná na temporada parecia que iria embora tão rapidamente quanto chegou, mas Douglas resolveu mostrar porque é chamado de “Tanque” na hora que o Tricolor mais precisou. Aos 46 minutos do segundo tempo, ele empatou uma partida heróica, que chegou a ser assustadora quando Rogerinho abriu o placar para o Ceará. Graças aos dois gols marcados no Presidente Vargas, a classificação foi garantida com o 1 a 1 na Vila Capanema. Agora, a equipe paranista pega o Palmeiras nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Primeiro tempo nervoso e sem gols

Apoiado pela torcida e sem se acomodar com a vantagem, o Paraná começou pressionando, mas quem teve a primeira grande chance foi o Ceará. Aos 13 minutos, Rogerinho fez bom passe para Mota, que bateu para a defesa de Luís Carlos. A exemplo da primeira partida, o jogo ficou nervoso e quatro cartões amarelos foram distribuídos em menos de 20 minutos.

O Tricolor seguia criando mais, mas novamente precisou contar com Luís Carlos para defender uma cabeçada perigosa à queima-roupa. Outra coisa que não mudou foi o nervosismo das equipes. Resultado: discussões entre os jogadores, mais amarelos – até o final do primeiro tempo foram sete – e a expulsão do técnico PC Gusmão.

Aos 40, Luisinho teve a chance de abrir o placar para a equipe paranista, mas foi travado por Thiego na hora da batida. Em seguida, Nilson saiu na cara de Fernando Henrique, porém se chocou com o goleiro em lance que deu origem a pedidos de pênalti por parte dos mandantes.

Ceará sai na frente, mas Paraná consegue empate heroico

O segundo tempo começou sem mudanças de nomes, mas o Vozão conseguiu mudar a sua postura e passou a controlar as ações ofensivas. Para tentar voltar a ter o comando do jogo, Ricardinho colocou Maicon no lugar de Elias.

Aos 22 minutos, Felipe Azevedo bateu no cantinho e obrigou Luís Carlos a fazer boa defesa.Na sequência, o Tricolor colocou pressão. Maicon driblou o zagueiro e cruzou para a cabeçada de Wendel na trave. No contra-ataque, Rogerinho, que quase não atuou por conta do falecimento de seu pai, apareceu pelo lado direito na cara do goleiro e bateu para abrir o placar.

O francês Aymen fez a sua estreia no ano entrando na vaga de Luisinho, mas a equipe paranista não conseguia se acertar em campo, errando passes e entrando na fase do desespero. No entanto, Douglas entrou para fazer o que dele se esperava. Com muita vontade, ele contou com a enfiada de Paulo Henrique e chutou na saída do goleiro para empatar a partida e classificar o Paraná.

O “Tanque” teve a chance de ampliar, mas desperdiçou. Do lado do Ceará, Thiego foi expulso no finalzinho. Alex Bruno ainda salvou o Tricolor em boa chegada do Vozão, fazendo com que a torcida pudesse explodir em comemoração com o apito final.

Ficha técnica:

Data: 17/04/12.
Local: Estádio Durival Britto e Silva (Vila Capanema), em Curitiba.
Horário: 21h50.
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO).
Assistentes: Fabio Pereira (Asp FIFA-TO) e Márcio Soares Maciel (GO).
Cartões amarelos:Luís Carlos, Alex Bruno (Paraná); Márcio Careca, Mota, Potiguar, Fernando Henrique, Daniel Marques (Ceará).
Cartões vermelhos: PC Gusmão, Thiego (Ceará).
Gols: Rogerinho, 25’/2T (0-1); Douglas, 46’/2T (1-1).
Público pagante: 9609.
Público total: 11.067.
Renda: R$ 226.460.

Paraná: Luís Carlos; Paulo Henrique, André Vinícius, Alex Bruno e Henrique; Alex Alves, Douglas Packer, Wendel (Douglas) e Luisinho (Aymen); Elias (Maicon) e Nilson.

Técnico: Ricardinho.

Ceará: Fernando Henrique; Apodi, Thiego, Potiguar (Daniel Marques) e Márcio Careca; Régis, Everton, Eusébio e Rogerinho (Paulinho); Felipe Azevedo (Romário) e Mota.

Técnico: PC Gusmão.