O empate em 1 a 1 diante do ABC-RN teve gosto de frustração para o Tricolor. Com o meio campo equilibrado e boas jogadas de ataque, o time esteve muito perto de vencer o jogo, mas com um a menos desde o fim do primeiro tempo até os 30 da etapa complementar, teve a tática comprometida e trouxe apenas um ponto de Natal.

“No vestiário, todo mundo tava consciente de que dava pra virar porque nosso time tava bem. Se não fosse o episódio do Sílvio [expulso no fim do primeiro tempo], a história poderia ter sido outra”, disse Dinelson, após a partida. “O time foi guerreiro, esse ponto pra nós foi muito bom”, acrescentou.

Líder na criação, o meia teve que ser substituído por Douglas Packer para repor a força de marcação, fragilizada pela desvantagem numérica. “O Dinelson não tava mal no jogo, mas não suportaria o ritmo com dez em campo”, justificou Macuglia. “Esse jogo era uma decisão pra gente. A equipe jogou pra frente, teve equilíbrio no meio, as bolas paradas melhoraram”, elogiou.

Mais uma vez irritado com a arbitragem, o técnico admitiu que o desequilíbrio dos jogadores foi preponderante no resultado. “Hoje, infelizmente, eles tavam muito nervosos com o árbitro. Eu também estava e isso não pode acontecer”, finalizou o técnico.

Com 46 pontos, o Tricolor se manteve na 14ª colocação e no próximo sábado (12), recebe o Guarani na Vila Capanema pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.