Tricolor aposta em ataque renovado para tentar frear a série de oito partidas sem perder do São Caetano

Escalado, o Paraná Clube que encara o São Caetano vive o meio termo entre lutar pela difícil possibilidade do acesso e planejar o ano que vem. Entre idas e vindas, a proximidade da Série A, que já foi tão forte no elenco tricolor, hoje já não é presença marcante e o time vive, segundo o técnico Guilherme Macuglia, um período de incertezas.

“Esse é um periodo muito difícil porque tem muita gente que já está pensando no próximo ano. Quando se enfrenta alguma dificuldade, de repente, a possibildade de uma saída ou futuro contrato. Então a gente tá tentando mobilizá-los no sentido de pensar até o dia 26 no Paraná”, comentou Macuglia. Para ele, é preciso que, agora, os jogadores estejam focados no objetivo do Tricolor. “Tem que pensar no grupo e quem depois não quiser ficar no Paraná pode seguir seu caminho”.

Em campo

O Paraná entra em campo neste sábado com uma dupla de ataque inédita na Série B. Marinho e Hernane serão os responsáveis pela dianteira tricolor, que terá o zagueiro Luciano Castán improvisado na esquerda.

“Marcinho é o jogador mais rapido que temos no plantel, tem velocidade e drible. Hernane vinha jogando e entrava então a opção da manutenção dele pra ver se a gente consegue um posicionamento ofensivo do time”, explicou o técnico, que leva a campo um time formado por Thiago Rodrigues; Brinner, Flavio Boaventura e Luciano Castán; Marquinho, Maycon Freitas, Sílvio, Douglas Packer e Lima; Marinho e Hernane.

A Banda B transmite Paraná x São Caetano neste sábado (29), a partir das 16h, com narração de Paulo Sérgio.