Por Guilherme Coimbra

Paraná completa 27 anos nesta segunda-feira (19) (Divulgação/Paraná Clube)

Paraná já nasceste gigante. O início do hino paranista condiz com o surgimento do clube, fruto da fusão de Colorado e Pinheiros, no dia 19 de dezembro de 1989. O passado do time que, em curto espaço de tempo, viveu grandes momentos de glória, hoje deixa saudades nos torcedores que sofrem com o momento atual do Tricolor, mas se apegam nos dias de vitórias para sonhar com um futuro próspero e novos momentos de alegria.

Com apenas dois anos de história, o Paraná conquistou seu primeiro título estadual e não parou mais. Em 1997, com apenas oito anos de história, o Tricolor conquistava o pentacampeonato e o seu sexto título estadual. No meio do caminho, teve espaço para o ápice da história paranista, com a conquista da Série B do Campeonato Brasileiro, em 1992. Na grande decisão, vitória na ida por 2 a 1, no Pinheirão, e na volta, Saulo marcou o gol da vitória na Fonte Nova lotada.

O segundo título nacional veio nos anos 2000, quando o Paraná venceu o Módulo Amarelo da Copa João Havelange, após derrotar o São Caetano por 3 a 1, no Palestra Itália, em São Paulo – a ida havia sido 1 a 1 na Vila Capanema. Os gols da vitória foram marcados por André Dias, Reinaldo e Frédson, para o Tricolor. O Azulão descontou com Aílton.

Com dois títulos nacionais e soberania estadual, o Paraná voltou a conquistar o Campeonato Paranaense em 2006, o melhor ano da história do clube. Ao bater a ADAP na decisão, o Tricolor conquistou o seu sétimo título Paranaense e, ao final da temporada, se classificou pela primeira vez para a Taça Libertadores da América.

A estreia no torneio continental em 2007 foi esperançosa. O Paraná passou pelo Cobreloa na primeira fase e se classificou na fase de grupos com o segundo lugar, atrás apenas do Flamengo. Porém, o sonho acabou já nas oitavas de final, diante do Libertad, do Paraguai, no qual o Tricolor esbarrou na Vila, perdendo por 2 a 1, e empatou na volta por 1 a 1, em Assunção.

Se a expectativa em 2007 era do ‘ano dos sonhos’, a realidade foi totalmente ao contrário, transformando-se em pesadelo. No estadual, o Tricolor perdeu o título em casa para o Paranavaí. No Brasileirão, uma campanha muito abaixo e o amargo rebaixamento para a segunda divisão.

Imerso numa crise financeira nos anos seguintes, o Paraná completará em 2017 o seu décimo ano consecutivo na Série B do Brasileirão. No meio desta trajetória, o time de rápida ascensão viu também uma queda para a Série Prata do Campeonato Paranaense, em 2011. Não diferente, o ano de 2016 foi o de pior campanha da equipe ao longo destes anos na segunda divisão nacional. Com 36% de aproveitamento, o Tricolor terminou a competição na décima quinta colocação com 41 pontos, somente um acima da zona de rebaixamento.

Em meio aos quase dez anos de tristezas, o torcedor se apega ao passado de glórias para ter esperança de novos dias de glórias. Afinal, antes de provar o gosto amargo das derrotas, a torcida paranista ficou mal acostumada com 17 anos de vitórias e conquistas.

E é nesse sentimento que o clube se abraça para a próxima temporada. Sob o comando de Wagner Lopes, o Paraná fará a sua estreia na Primeira Liga em 2017 e tentará o tão esperado retorno para a elite do futebol brasileiro. O que se espera é que, dessa vez, a temporada tenha um final feliz.