Por João Pedro Alves e Monique Vilela

Se teve uma coisa que o técnico Milton Mendes sempre destacou desde o início do ano, mesmo nos momentos ruins, foi que era preciso dar tempo ao tempo para o Paraná se acertar. Questionamentos a essa filosofia apareceram com a falta de resultados que prejudicaram o time no Paranaense. A resposta foi dada neste domingo (9), com uma goleada por 4 a 0 sobre o Atlético que fez o Tricolor terminar a primeira fase “com ninguém à sua frente”, como líder.

O discurso do treinador não mudou com derrotas, e não seria após a conquista do primeiro lugar na tabela que isso se alteraria. Como não se alterou. Em entrevista coletiva após a vitória elástica na Vila Capanema, Milton exaltou a confiança no trabalho que resultou na liderança.

(Foto: Monique Vilela/Banda B)

Milton Mendes afirma que conquista vem de foco no planejamento: “Só trabalhamos” (Foto: Monique Vilela/Banda B)

“Se eu não acreditasse no trabalho, não estaria aqui”, disparou o comandante paranista. “Não mudamos a atitude e o equilíbrio interno. E demos uma resposta que somos fortes. Mesmo com as dificuldades, ninguém nunca tentou jogar a culpa em quem quer que fosse. Só trabalhávamos. Fizemos isso para que nesta rodada final pudéssemos chegar em uma boa colocação”, pontuou.

Apesar de todos os méritos, Milton Mendes reconheceu que a campanha nesta fase de classificação não foi feita apenas de alegrias. O técnico acredita que algumas das críticas recebidas por ele e o elenco foram merecidas, mas que mais virtudes poderiam ter sido ressaltadas em meio a elas.

“Em poucos jogos fomos mal, foram os casos das partidas contra Arapongas e Toledo. A equipe teve sempre uma ascendente e o domínio do jogo”, afirmou, lamentando que nem em todas as atuações positivas, como diante do rival Coritiba, a vitória apareceu.

Mas passada essa primeira etapa, é hora de pensar no mata-mata. Coincidentemente, o adversário paranista nas quartas de final é o mesmo Atlético. A goleada não faz a confiança de Milton Mendes inflar, mas dá a ele a certeza de que é possível o time da Vila continuar vivo na briga pelo título.

“O Atlético é uma boa equipe e é bem orientada. Respeito muito o Petkovic, respeito muito a instituição. Mas temos que valorizar o que o Paraná fez. Vamos tentar fazer a nossa parte”, concluiu.

Notícias relacionadas:

Com três de Giancarlo, Paraná goleia Atlético e termina fase na ponta da tabela