Rogério Micale não confirma equipe que mandará a campo (Felipe Dalke/Banda B)

Depois de somar o primeiro ponto no Brasileirão, o Paraná agora segue na caçada à primeira vitória na competição. Para isso, o time tem pela frente o Santos, no próximo domingo (13), às 19h, na Vila Belmiro, pela quinta rodada. Sem poder contar com o suspenso Mansur, o técnico Rogério Micale não revelou quem será o titular na lateral-esquerda e nem qual a formação deverá mandar a campo, mas disse já ter a estratégia traçada para a partida.

“Já tenho claro o que fazer. Não vou passar, pois todos hoje em dia estão em busca de informações. Já sabemos o que será feito. Só um adendo que o Rayan pode atuar em muitos jogos como lateral-esquerdo. Não é uma improvisação simples, pois é um cara que domina o lado esquerdo do campo. Já temos definido e ele aparece com essa possibilidade. Vamos ver o que for melhor, no domingo, para colocar em campo”, afirmou Micale em entrevista coletiva.

Sem conseguir repetir as escalações, o comandante paranista terá mais problemas para a partida, uma vez que, além dos jogadores que estão no departamento médico e de Mansur, o time não poderá contar também com o zagueiro Cleber Reis, que não pode jogar por questões contratuais com o Santos.

“Como é uma equipe recém-formada, que estamos utilizando jogadores que acabaram de chegar. Quando eu cheguei, eu consegui repetir o time e dar um padrão. Não é aquilo que a gente gostaria que acontecesse, mas são circunstâncias do jogo. As contusões aparecem, os contratos precisam ser respeitados, é uma situação que já sabíamos que poderia acontecer. Temos que ter tranquilidade para ter a melhor formação possível para ser competitivo e esperamos que aqueles que estiverem em campo possam corresponder”, comentou o treinador.

A principal vilã paranista no início do Brasileiro tem sido a pontaria. Com 61 finalizações, o Tricolor é o time que mais chutou a gol na competição, mas precisa em média de 30 chutes para marcar um gol. “Está faltando a bola entrar. Estamos treinando, buscando os aspectos táticos dentro do nosso modelo de jogo e inserindo o complemento de finalizações em várias situações. Agora, é lógico que, no jogo, entram as questões emocionais, como a ansiedade. Temos que nos equilibrar, pois somos o time que mais finaliza. Isso parece como desculpa, mas demonstra que estamos chegando lá. Acredito que com mais capricho nós vamos alcançar isso”, finalizou.

Confira a entrevista coletiva do técnico Rogério Micale: 

O técnico Rogério Micale fala em entrevista coletiva na Vila Capanema

Posted by Esporte Banda B on Friday, May 11, 2018