Por Rodrigo Dornelles com informações de Monique Vilela
Técnico paranista quer time ofensivo. (Monique Vilela/ Banda B)

Técnico paranista quer time ofensivo. (Monique Vilela/ Banda B)

Mesma equipe, essa é a tendência do Paraná para encarar o Joinville, na Vila Capanema, neste sábado (25). O técnico Marcelo Martelotte tem a intenção de manter os 11 titulares da última partida. Atuando como mandante, o treinador ainda quer o Tricolor ofensivo contra o JEC.

Repetição. O comandante paranista entende que é mantendo os jogadores titulares que o time pode melhorar em relação a rodada anterior. “A intenção a princípio é a manutenção da equipe que jogou na terça-feira (contra o CRB) que a meu ver teve um bom rendimento, uma boa postura em campo e a gente espera que evolua com a repetição da equipe”, comentou Martelotte.

Jogando como mandante, o Paraná deverá ter maior volume no ataque e uma postura mais ofensiva, na projeção de Martelotte. “Sabemos que quando você joga dentro da sua casa, normalmente até pela postura do adversário, você tem mais a posse de bola. Esperamos que com isso a gente tenha um rendimento melhor em termos ofensivos”, disse o treinador.

Para o técnico, o primeiro tempo da partida diante do Luverdense, na Vila Capanema, deve ser um modelo a ser seguido no Tricolor. “Postura de uma equipe que joga em casa, que tem objetivo grande. Posse de bola, predomínio sobre o adversário, jogar de uma forma ofensiva, sem dar muitas chances ao adversário. Fizemos um bom primeiro tempo contra o Luverdense, entendo que é próximo do modelo de jogo que temos que ter em casa, mas fazer aquilo durante os 90 minutos”, comentou Martelotte.

Quanto ao apoio do torcedor, Marcelo Martelotte acredita que a reação da torcida vem relacionada ao desempenho em campo e ele espera reconquistar a confiança dos paranistas. “O torcedor, nesse último jogo (em casa, contra o Luverdense), de um modo específico, começou um protesto ainda durante a partida, em um momento que o time ainda buscava um resultado melhor. Saímos aplaudidos no primeiro tempo enquanto o time vencia, jogava bem. Saímos vaiados quando não jogamos bem e perdemos o jogo. Essa reação está sempre relacionada ao que apresenta em campo. Se o comportamento for de incentivo, vai nos ajudar, mas mesmo que não seja em um primeiro momento, vamos resgatar através do nosso futebol, a confiança do torcedor novamente”, projetou o treinador.