Por Rodrigo Dornelles com informações de Monique Vilela

Uma vitória gigante. O Paraná conquistou um resultado muito importante em São Januário, ao virar para cima do Vasco aos 45 minutos do segundo tempo, vencendo os cariocas. Pelo tamanho da vitória paranista, o técnico tricolor, Marcelo Martelotte, “liberou” a comemoração no vestiário, mas cobrou pés no chão de seus jogadores.

Martelotte destaca bom trabalho coletivo da defesa. (Monique Vilela/ Banda B)

Martelotte destaca bom trabalho coletivo da defesa. (Monique Vilela/ Banda B)

O efeito que uma vitória sobre o líder, de virada, fora de casa, pode causar no grupo, foi alertado pelo treinador, que cobrou consciência dos atletas para os próximos compromissos. “Uma alegria muito grande, na conversa pós jogo falei que estamos no direito de comemorar, mas temos que ter pés no chão, nossa vitória não nos facilita nada no jogo contra o Bragantino. É um jogo que vai se apresentar com outras dificuldades e vamos ter que estar preparados para isso. Foi uma vitória importante, temos condição e devemos comemorar uma vitória desse tamanho, mas não nos dá vantagem nenhuma a partir de sábado”, afirmou Martelotte.

Dentro do jogo contra o Alvinegro carioca, Marcelo Martelotte elogiou a atuação individual dos atletas, mas frisou o bom desempenho coletivo, principalmente no setor defensivo. “Achei nossa equipe, de um modo geral, individualmente esteve em um nível bom. Quando a gente entende o que é um funcionamento coletivo, todo mundo cresce na atuação individual”, comentou o treinador.

A organização da equipe, mesmo após o gol vascaíno, que foi marcado logo aos seis minutos do primeiro tempo, foi outro ponto valorizado pelo comandante. “Tem um componente que é a organização. A gente tem falado isso nos jogos. Entendendo que independente do resultado, é importante se manter organizado. Tomamos o gol no início, poderia voltar o trauma, resultados ruins que tivemos, mas a equipe se manteve. Conseguimos jogar com qualidade, equilibramos o primeiro tempo a ponto de chegar ao empate e criar oportunidades de sair até com um melhor resultado”, avaliou Marcelo Martelotte.

Inclinado a montar equipes ofensivas, Martelotte destaca o trabalho defensivo nessas primeiras semanas a frente do time. “Eu gosto de ver o time jogando ofensivamente, mas entendi que primeiro era uma questão defensiva. A princípio era o setor defensivo, o posicionamento de marcação, que precisava evoluir e essa evolução já pode ser vista”, ressaltou o treinador.