Por Rodrigo Dornelles com informações de Monique Vilela
Martelotte confia na briga pelo acesso. (Monique Vilela/ Banda B)

Martelotte confia na briga pelo acesso. (Monique Vilela/ Banda B)

Fim de primeiro turno e o Paraná perde para o Tupi na última rodada dessa metade de Série B. Com 26 pontos, a equipe se vê mais distante do G4 e terá que tirar a diferença na metade final de competição para alcançar o acesso. Na visão do técnico Marcelo Martelotte, a equipe precisa ter no pensamento que cada jogo é uma decisão. Ele ainda admite que neste momento o grupo não deve receber reforços.

Em Juiz de Fora, a equipe paranista acabou derrotada após um primeiro tempo muito ruim, onde sofreu os dois gols da partida. Para Martelotte, faltou intensidade ao time. “Na verdade muito da derrota foi na postura do primeiro tempo, onde faltou intensidade, espírito de competição. A gente sabia que o jogo teria essa característica, o adversário ia entrar para brigar pelo resultado. O jogo não tem só a parte técnica, tem de força, de intensidade, e perdemos, principalmente no primeiro tempo”, avaliou o treinador.

Colocar no pensamento que cada jogo é decisivo em um campeonato de pontos corridos, esse é o desafio do Paraná no segundo turno, na visão do técnico. “As sequências de novo vão acontecer e independente do espaço entre jogo e outro esperamos iniciar bem o segundo turno. Entendendo que precisamos encarar com caráter mais decisivo cada partida. A gente precisa entender que no ponto corrido cada jogo tem importância grande e encarar como decisão”, comentou Marcelo Martelotte.

Jogando cada rodada como uma decisão, Martelotte acredita que é possível para o Tricolor buscar os pontos necessários para almejar o acesso à Série A. “Se não chegamos a pontuação ideal, e estivemos em uma situação para chegar melhores a duas rodadas, essa pontuação ainda nos dá possibilidade. Um turno inteiro é muita pontuação e vai depender da nossa capacidade. A dificuldade da competição é a mesma para todo mundo, existe um equilíbrio. Subimos de posição quando tivemos vitórias seguidas, seis jogos sem perder, ficamos perto do G4. Isso pode acontecer no segundo turno novamente e pode nos trazer uma condição mais clara para brigar pelo acesso”, afirmou o técnico.

Para buscar essa pontuação necessária para brigar por uma vaga entre os quatro melhores, o comandante admite que dificilmente o grupo será reforçado nesse momento. “A gente ainda não teve uma conversa definitiva. A princípio existe uma possibilidade de confiar nesse grupo, nas possibilidades. Lógico que qualquer equipe, em qualquer nível, pode ser reforçada, se você perguntar para o técnico do Real Madrid, o Real Madrid está contratando. Lógico que o Paraná pode ser mais forte com algumas contratações, mas não adianta dar passo maior que a perna, nossa realidade nesse momento é acreditar que esse grupo pode brigar pelo acesso. A partir do momento que se mostre o contrário no segundo turno, vamos trabalhar com a realidade. A realidade hoje é que eu confio nesse grupo. Temos que trabalhar com a realidade do clube”, declarou Marcelo Martelotte.