Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Marcelo Martelotte

Marcelo Martelotte ainda não confirma a escalação. (Monique Vilela/Banda B)

A pressão diminuiu dentro do Paraná após encerrar o jejum de sete partidas sem vencer e três derrotas consecutivas. O pensamento de todos é que a vitória sobre o lanterna Sampaio Corrêa vai trazer confiança para “resgatar a imagem de vencedor” do Tricolor.

“O que existia era uma necessidade grande de vitória após alguns resultados não desejados. A vitória, da maneira como veio, nos traz uma esperança grande de confiança e um início diferente dentro do campeonato em termos de pontuação e exibições melhores para que a gente possa resgatar essa imagem de um time vencedor”, declarou o técnico Marcelo Martelotte.

Para a próxima rodada, contra o Oeste, o treinador paranista não contará com o zagueiro Leonardo, o lateral-esquerdo Rafael Carioca, o volante Claudevan e os meias Murilo Rangel e Válber. Entretanto, ganhou novas opções após as atuações elogiadas de João Paulo, Lucas Otávio e Lúcio Flávio na última rodada.

“A gente deve aguardar em relação a formação da equipe. Ainda alguns jogadores estão se recuperando, temos muitos problemas no departamento médico e dificuldade em relação ao grupo de forma geral. Temos uma ideia de ter não só os 11 [jogadores] que iniciam, mas opções também que sejam efetivas como foi na última partida”, comentou Martelotte.

O Oeste é comandado por Fernando Diniz, que esteve no Paraná em 2015, mas o fato do treinador conhece o time paranista não incomoda o atual comandante tricolor. “[Diniz] Conhece alguns jogadores que trabalharam com ele no ano passado e isso acontece com certa frequência no futebol pela rotatividade que existe. A gente sabe que apesar de ser importante a estratégia e a organização e independente de se fazer segredo da forma que se joga, tudo que for planejado, seja muito bem executado”, disse.

A equipe paulista tem o melhor aproveitamento de passes certos entre todos os participantes da Série B, uma característica do trabalho de Diniz. Para Martelotte, o fato de alguns atletas já conhecerem a filosofia do treinador do Oeste pode ajudar o Paraná durante a partida.

“Eu respeito muito ao jeito que o Fernando joga e o time dele joga de maneira diferente. Só que temos uma vantagem de trabalhar com ele aqui no Paraná e outros que já foram comandados por ele. Esse tipo de informação é sempre fundamental para ter alguns detalhes que possam ser benéficas durante a partida”, finalizou o técnico.