Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Jogadores e Martelotte conversaram antes do treino no CT Ninho da Gralha. (Monique Vilela/Banda B)

Jogadores e Martelotte conversaram antes do treino no CT Ninho da Gralha. (Monique Vilela/Banda B)

O Paraná realizou seu único treinamento antes da partida contra o Sampaio Corrêa, nesta terça-feira (29), e o técnico Marcelo Martelotte optou apenas por um rachão já que o elenco vem de uma viagem desgastante de Salvador. Porém, antes da bola rolar no CT Ninho da Gralha, o treinador teve uma longa conversa com os jogadores para voltar a vencer após sete rodadas na Série B.

Sem tempo para trabalhar, o zagueiro Alisson ressaltou a importância da conversa e lembrou que todo o trabalho para melhorar o desempenho do time foi feito durante a paralisação da Série B para os Jogos Olímpicos. “Agora não tem muito tempo para trabalhar e é base na conversa. Não temos tempo de trabalhar nenhuma jogada pela longa viagem e precisa mesmo ser na base da conversa porque tudo que era para ser trabalhado foi feito na inter temporada e temos que responder dentro de campo”, comentou.

Já o lateral-esquerdo Henrique Gelain destacou o trabalho feito pelo grupo paranista durante os treinamentos e entende o fato da torcida estar sem paciência. “A gente vem trabalhar e procura evoluir cada vez mais para vencer logo e mudar esse cenário”, disse. “Às vezes a gente vê a torcida sem paciência, mas sabe que isso vai acontecer e precisa se concentrar muito antes do jogo”, complementou.

Com a sequência negativa sem vitórias, o desempenho de Marcelo Martelotte começou a ser questionado já que o Tricolor sonhava com o acesso. “O trabalho está feito, mas, infelizmente, o resultado não vem e questionam o trabalho dele. Os jogadores confiam nele e a gente vai entrar com tudo porque o resultado nunca foi tão preciso como agora. Com a sequência ruim, o clima fica pesado”, declarou Alisson.