Por Esporte Banda B 

O Paraná Clube se envolveu na questão do credenciamento que gerou toda a polêmica no clássico Atletiba do último domingo (19). Sem citar os nomes dos dois rivais, o Tricolor ressaltou o trabalho feito pela Federação Paranaense de Futebol (FPF) em relação ao credenciamento.

“Esta diretoria sempre defendeu o princípio da igualdade nas competições em que participa. Desde 2015, o clube aprovou o credenciamento dos profissionais de imprensa através da Federação Paranaense de Futebol. Mesmo que este procedimento tenha onerado os nossos borderôs, entendemos ser um caminho necessário para a perfeita ordem nos jogos realizados no Campeonato Paranaense”, declarou o clube em nota assinada pelo Conselho Gestor.

Na nota, o Tricolor ainda ressaltou que a regulamentação deve ser obedecida por todos os participantes do estadual. “Esta regulamentação é aplicada em todos os jogos do Paraná Clube, na Vila Capanema, sem maiores problemas. Acreditamos que este seja o modelo a ser seguido por todas as doze equipes que disputam o Campeonato Paranaense, garantindo assim o princípio de isonomia a todos os integrantes da competição, respeitando-se o regulamento e as normas estabelecidas – e assinadas pelos clubes – para a disputa da competição nesta temporada 2017”, acrescentou.

Entretanto, nem tudo foi elogio do lado paranista. Depois da grave lesão de joelho do atacante Vitor Feijão por conta do péssimo gramado do estádio Ubirajara Medeiros, em Cornélio Procópio, o diretor-executivo Rodrigo Pastana criticou a FPF por liberar o gramado sem condições para realização de jogos.

“É lamentável que ainda passemos por situações como esta. Um estádio acanhado, com vestiário pequeno e sem nenhum conforto e, para piorar, um gramado como aquele. Perdemos um dos nossos principais jogadores, justamente quando o Feijão vivia um grande momento, de plena ascensão”, afirmou Pastana, ao site oficial do clube.