Os zagueiros Cris e Luciano Castán foram julgados pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), na tarde desta sexta-feira, por conta das expulsões no jogo contra a Ponte Preta, no último dia 26 de julho. Por unanimidade de votos, Castán foi apenas advertido pelo tribunal, enquanto Cris (reincidente) pegou duas partidas de suspensão e fica de fora do jogo deste sábado, contra o ABC, a partir das 21h, na Vila Capanema.

Desde setembro de 2010, Cris acumula 13 jogos de suspensão por conta de julgamentos no STJD. Dessa vez, como já cumpriu a suspensão automática, o zagueiro só desfalcará o Tricolor no duelo de amanhã. Sem poder contar com o capitão da equipe mais uma vez, o técnico Roberto Fonseca deve armar a zaga paranista com Brinner e Flávio Boaventura, já que Amarildo está vetado pelo departamento médico e Castán ainda sente dores musculares.

A defesa dos jogadores

O advogado do Paraná, dr. Itamar Côrtes, pediu absolvição, ou no máximo, uma advertência para Luciano Castán, alegando que o zagueiro era réu primeiro e foi expulso em um lance normal de jogo após receber dois cartões amarelos. Quanto à defesa de Cris, o advogado também pediu absolvição, ou então, uma partida de suspensão, com a justificativa de que o atleta não teria chutado o adversário na barriga, como foi relatado na súmula da partida, mas não conveceu os auditores a liberarem Cris.

Entenda os casos de Cris e Luciano Castán, de acordo com o site da Justiça Desportiva:

O capitão do Paraná Clube, Cris, levou o segundo cartão amarelo aos 40 minutos da etapa final, por “atingir com a sola do pé a barriga do seu adversário na disputa da jogada”, conforme o relato da súmula do árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima.O defensor respondeu ao artigo 254 do CBJD, por “praticar jogada violenta”, com pena que varia de uma a seis partidas de suspensão. Vale lembrar que Cris foi punido em seis jogos anteriormente neste mesmo artigo, recentemente.

Luciano Castán também foi expulso na partida contra a Ponte e foi julgado. O camisa 4 deixou o campo logo aos 10 minutos da segunda etapa quando levou sua segunda advertência por calçar adversário. Luciano foi incurso no artigo 250 (praticar ato desleal ou hostil durante a partida) do CBJD, em que a punição varia de um a três jogos de gancho.

Redução da pena anterior

A procuradoria do STJD já entrou com um pedido para reduzir a punição anterior do zagueiro Cris, que havia sido penalizado com seis jogos de gancho por conta da expulsão na partida diante do ASA de Arapiraca. O dr. Itamar Côrtes comemorou essa decisão, já que o atleta tinha conseguido apenas um efeito suspensivo para voltar a jogar pelo Tricolor.

“Fiquei feliz com o depoimento do dr. Paulo Salomão, que disse que a própria procuradoria quer a redução da pena do Cris. Isso vai nos ajudar no julgamento do recurso”, afirmou o advogado. “Hoje a Comissão Disciplinar entendeu que houve um lance mais violento, e infelizmente por ele ser reincidente, acabou pegando duas partidas de suspensão. Normalmente ele levaria um jogo, mas pela reincidência ficou com duas”, completou o dr. Itamar Côrtes.