Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Paraná ganhou R$ 350 mil com a classificação para a segunda fase. (Irapitan Costa/Paraná)

A classificação no sufoco do Paraná com gol nos minutos finais contra o São Bento gerou um alívio não apenas para os jogadores e a comissão técnica, mas também para a diretoria. Com a vaga para a segunda fase da Copa do Brasil, o Tricolor ganhou R$ 350 mil, além de outros R$ 250 mil por apenas participar do torneio.

Para o técnico Wagner Lopes, o dinheiro que entrará nos cofres do clube será importante para manter as contas em dia até o mês de abril. “Nosso presidente está fazendo de tudo para honrar os compromissos e pagar em dia. Ele está buscando patrocínio e a vitória representa praticamente duas folhas de pagamento. Então, dá uma tranquilidade para a gente trabalhar até abril”, comemorou.

O treinador ainda destacou o trabalho da diretoria paranista que busca novos investidores para o clube. Desde o começo da temporada, o Tricolor está sem o patrocínio máster e vem fazendo propaganda da campanha do sócio-torcedor. “A classificação dá um aspecto financeiro tranquilo para atrair investidores e patrocínio para nossa equipe. A torcida merece um time forte. Nosso presidente tem nos dado tranquilidade e deixado a gente trabalhar, assim como o Pastana e o Tcheco. Isso faz com que a gente fique mais forte e dê liga. Vamos sofrer e chorar no treino para sorrir nos jogos”, comentou.

Após a classificação, o comandante não se arrepende de adotar o sistema de rodízio e escalar um time reserva no clássico contra o Coritiba. “O planejamento foi bem feito de saber dosar. A gente entrou com outro time no clássico e sabíamos do risco. Prova que O planejamento, bom senso e discernimento nesse aspecto foram bem feito”, ressaltou.

O Tricolor aguarda o vencedor do confronto entre Bahia e Sergipe para conhecer o adversário da segunda fase e já sabe que a partida será na Vila Capanema. Caso avance de fase, o clube ganhará mais R$ 680 mil.