Carlos marcou o gol do Paraná no empate com a Chapecoense (Tarla Wolski/Futura Press/ Estadão Conteúdo)

Autor do gol de empate paranista com a Chapecoense, nesta segunda-feira (07), na Arena Condá, pelo Campeonato Brasileiro, o atacante Carlos causou polêmica ao chamar o Paraná de “pequeno” em entrevista à televisão na saída do gramado. Pouco depois, o jogador se justificou e disse que a intenção não era diminuir a instituição.

“Na saída do campo, eu queria falar que hoje todos os times veem o Paraná como time pequeno, favorito a cair para a Série B. O Paraná tem uma equipe de guerreiros. Hoje eu corri, suei e força não vai faltar. Eu quero falar para o torcedor que o Paraná não é time pequeno. Os outros veem como pequeno, mas não é isso”, explicou o atacante em entrevista à imprensa.

Contratado recentemente para ser o camisa 9 do time, Carlos balançou as redes pela primeira vez com a camisa do clube, garantindo o primeiro ponto do Tricolor no Brasileirão. “Me doei o máximo, saí exausto do jogo. A equipe está crescendo cada vez mais, massacrando o adversário em todos os jogos. Consegui fazer meu gol, espero que seja o primeiro de muitos. Tenho certeza que a nossa equipe tem muito a crescer ainda”, avaliou.

Em mais um jogo com amplo domínio de finalizações, o Paraná novamente esbarrou nos erros e não conseguiu deixar o campo com uma vitória. Com o time pressionado para balançar as redes adversárias, o atacante destacou que os trabalhos têm sido com o intuito de melhorar o poder ofensivo. “No dia a dia nós estamos procurando treinar finalizações e reconhecendo os nossos erros para melhorar a cada jogo”, disse.

O próximo compromisso do Tricolor será contra o Santos, fora de casa, no próximo domingo (13), às 19h, válido pela quinta rodada do Brasileirão. “Temos uma semana muito difícil, vamos treinar em cima disso. Vamos chegar na Vila Belmiro para tentar fazer um ótimo jogo e procurar sair de lá com os três pontos”, finalizou Carlos.