Com a presença de sete dos nove clubes que disputam a Série Prata do Campeonato Paranaense em 2012, o Paraná comandou uma reunião, na tarde desta terça-feira, na Sede da Kennedy, com o intuito de tentar antecipar o início da segunda divisão do estadual, que é disputada de maio a agosto. De acordo com os dirigentes do Tricolor, o encontro foi produtivo.

“A gente quis ressaltar aos outros clubes que o futebol precisa valorizar mais as competições de Segunda Divisão.Não podemos valorizar uma Segunda Divisão só quando há um clube grande na disputa. Esse foi o mote principal da nossa conversa hoje, teremos outra reunião no dia 12 de dezembro. Claro que ainda não há nada firmado para antecipar a Série Prata, pois os clubes ainda farão suas análises”, afirmou o presidente do Conselho Deliberativo do Clube, Benedito Barbosa.

Somente representantes do Cascavel CR e do Grêmio Metropolitano não compareceram à reunião. Em entrevista à rádio Banda B,Wagner Vinci, presidente do Grêmio Metropolitano Maringá, afirmou que não veio à Curitiba porque não tem interesse em antecipar a Série Prata. Mas o presidente do Cincão, Gilberto Ponce, afirmou que a maioria dos clubes do interior deve aceitar mudar a data de início da Segundona estadual.

“Foi muito interessante a convocação dessa reunião por parte do Paraná. Eu já fui claro que era a favor da antecipação. Só dois clubes não compareceram e acho que a maioria vai aceitar antecipar, até pela possibilidade de uma emissora nos ajudar com as despesas por meio de direitos de transmissão.O Junior Team acredito que não mudará de ideia e não são a favor. Mas se a maioria aceitar, acho que conseguimos a antecipação”, afirmou Ponce.

De acordo com Benedito Barbosa, uma emissora de televisão tem interesse em transmitir a Série Prata de 2012 e a proposta concreta será apresentada aos clubes na reunião do dia 12. O dirigente disse ainda porque o Tricolor vem tentando essa antecipção para meados de fevereiro ou início de março (a competição é disputada de maio a agosto):

“A gente fez questão de demonstrar que para o Paraná é técnica e juridicamente inviável disputar as duas competições ao mesmo tempo, a Série B e a Série Prata. A CBF determina que haja um intervalo mínimo de 66 horas entre um jogo e outro”, explicou.”Os clubes teriam que fazer adaptações imensas em seus calendários para se adequar ao termo legal e à situação do Paraná. Haverá um prejuízo enorme para o futebol paranaense e a Série Prata certamente ultrapassaria 90 dias”, completou Barbosa.

Ausente, Grêmio Metropolitano explica seu posicionamento

Um dos clubes que não compareceu ao encontro de hoje, o presidente do Grêmio Metropolitano, Wagner Vinci afirmou, em entrevista à rádio Banda B, que aceita negociar a antecipação da Série Prata caso isso não venha a prejudicar a equipe de Maringá. “Nós temos 12 jogadores emprestados a outros clubes. Não adianta a gente antecipar a Série Prata, entrar com um time desfalcado e acabar voltando para a terceira divisão”, afirmou Vinci. “Se realmente houver uma verba de TV facilitaria para a gente aceitar a antecipação”, completou.

Federação defende unanimidade para alteração de calendário

O vice-presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Amilton Stival, garantiu que a entidade não vai se opor à alteração do calendário da Série Prata do ano que vem, desde que os clubes decidam, de maneira unânime ou contando com a maioria, pela mudança.

“Se os clubes forem unânimes, a Federação vai acatar o entendimento dos seus filiados”, explicou Stival. Segundo o vice, em caso de escolha da maioria, a FPF vai convocar uma reunião para pesar a decisão. “O ideal seria que tivéssemos unanimidade. É um campeonato que já vem há tempos nessa data”, defendeu.

A tabela e o regulamento da Segunda Divisão do Paranaense devem ser divulgados pelo menos 60 dias antes do início do campeonato. Assim, caso o estadual comece em março, a Federação precisa divulgar toda a regulamentação da competição em janeiro.