Por Guilherme Coimbra com informações de Monique Vilela

Wagner Lopes pediu apoio e paciência da torcida com reformulação (Monique Vilela/Banda B)

Em preparação desde o dia 2 de janeiro, o Paraná fará sua estreia na temporada nesta quarta-feira (25), contra o Avaí, na Vila Capanema, pela Primeira Liga. Variando formações e com vários testes nas atividades realizadas, o técnico Wagner Lopes não revelou quais as estratégias para o duelo, mas pediu paciência e apoio da torcida no primeiro passo da reformulação da equipe.

O treinador elogiou a evolução da equipe durante os treinamentos da pré-temporada. “Eu vejo que é uma reconstrução. Poucos atletas permaneceram, mas com uma filosofia de trabalho e uma visão diferentes. Não existe uma receita, uma pílula que se toma. É um desenvolvimento de jogo e de habilidades”, destacou. “Nós temos um time muito bom, apesar de muito jovem. Procuramos facilitar o máximo possível para todas as reações nos cinco momentos do jogo. Eu vejo com bons olhos a nossa evolução”, concluiu.

Wagner Lopes testou formações variadas nos treinamentos e nos jogos-treino diante do Joinville. Para a estreia na temporada, nesta quarta-feira (25), o treinador faz mistério acerca do esquema e das peças que serão utilizadas na partida, mas pediu paciência da torcida principalmente com os atletas que recém foram promovidos das categorias de base.

Eu tenho opções interessantes, mas existem condições que evitamos divulgar para que não acabe fortalecendo o adversário. Já conhecemos a biotipia de todos os atletas e sabemos em qual sistema de jogo usar, mas ainda temos duas sessões de trabalho. Já tenho bem definido em minha cabeça quais são as estratégias para esse jogo, mas será de nervosismo, de uma equipe reformulada totalmente, que vai precisar do apoio e do entendimento da nossa torcida. Nós temos jogadores jovens, com muito potencial, mas que ainda precisam de confiança, de ritmo de jogo e de um melhor condicionamento”, analisou.

O Tricolor faz sua estreia nesta quarta-feira (25), diante do Avaí, às 19h, na Vila Capanema, pela Primeira Liga. “Sem dúvida nenhuma, é um grande desafio. Uma estreia sempre gera nervosismo e ansiedade. Isso é normal em qualquer profissional, ainda mais nos jovens. Então é passar bastante confiança e tranquilidade para os atletas, para que possamos fazer uma boa partida e consequentemente ter um bom rendimento”, finalizou.