Por Pedro Melo com informações de Osmar Antônio

Márcio Goiano estará no banco como técnico do Coritiba no clássico. (Osmar Antônio/Banda B)

Márcio Goiano estará no banco como técnico do Coritiba no clássico. (Osmar Antônio/Banda B)

Ficou no passado. Assim como o técnico Paulo Autuori, Márcio Goiano, auxiliar-técnico do Coritiba e substituto de Pachequinho na área técnica, não vê nenhuma relação no próximo clássico Atletiba com as finais do Campeonato Paranaense que culminaram no título do Atlético.

Para Márcio Goiano, o Coritiba precisa olhar apenas para os próximos compromissos e acredita que os jogadores estarão motivados para conseguir a vitória. “Não tem como mudar o passado e temos que olhar para frente. Os atletas estão jogando bem e o clássico tem uma motivação natural. Vou procurar fazer o meu melhor e honrar a indicação do Pachequinho que me convidou para ser o auxiliar”, comentou.

Márcio Goiano terá sua primeira experiência como treinador e justamente no clássico Atletiba. Entretanto, o auxiliar-técnico afirmou que conversou com Pachequinho, suspenso pela expulsão na última rodada, desde o apito final da partida contra o Figueirense e já discutiu prováveis mudanças para a equipe.

“Eu e o Pachequinho trabalhamos juntos desde 2011 e as discussões de prováveis substituições, a gente discute diariamente. No banco vai estar comigo o César Bueno, que é o outro auxiliar, e nós estamos conversando com o Pachequinho desde o pós-jogo com o Figueirense”, comentou Goiano.

Coxa e Atlético vivem situações opostas no Campeonato Brasileiro. Enquanto, o Alviverde é o penúltimo colocado, o seu rival está a apenas três pontos do G4. Porém, o auxiliar coxa-branca declarou que os momentos das equipes não coloca o Rubro-Negro como favorito. “Não tem favorito em nenhum clássico do mundo. A colocação, como a equipe vem jogando, [não importa] e vejo as duas equipes com 50% de chance”, finalizou.