Rogério Bacellar concedeu a última entrevista antes de encerrar sua gestão no Coritiba. (Geraldo Bubniak)

O presidente do Coritiba, Rogério Bacellar, veio a público pela primeira vez depois do rebaixamento para a Série B e concedeu a última entrevista durante sua gestão. Ao lado dos vice-presidentes José Fernando de Macedo e Alceni Guerra, Bacellar assumiu total responsabilidade pela queda e aproveitou para responder as criticas do presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Mário Celso Petraglia.

Confira todos os assuntos comentados por Rogério Bacellar:

Rebaixamento para a Série B 

“Total responsabilidade. Sou o presidente. Apesar de não escalar o time, não marcar gol, nem defender, eu tenho responsabilidade total”.

“Coritiba foi rebaixado porque futebol é futebol. Coritiba tinha todas as condições de continuar na Série A, houve uma desatenção na nossa zaga no último lance da partida e tomamos o gol. Não fui para Chapecó por recomendação médica. Estive em todos os lugares e o médico me recomendou não viajar”.

Expulsão de Kleber foi um das fatores da campanha ruim?

“Eu comentei isso mesmo. Se não acreditasse no meu elenco, quem iria acreditar? Nós tivemos seis rodadas mostrando que isso seria possível. Mas depois do episódio do Kleber contra o Bahia teve um baixo astral no elenco e foi o divisor de águas”.

“Kleber revidou o que o jogador do Bahia fez e além do mais, o árbitro entrou em campo com segundas intenções para punir alguém. Ele chamou o Kleber antes de começar o jogo para cortar a camisa do Wilson. Tem que ter a cabeça fria, mas nem todo jogador tem a cabeça fria toda hora. Perdemos a liderança do Kleber e isso desintegrou um pouco o pensamento e a atitude dos jogadores”.

Declaração após o título estadual sobre vaga na Libertadores

“Eu acreditei no elenco naquele momento. Kleber, Dodô, de seleção brasileira, Werley, Edinho… Se não deu certo, o que vou fazer? Paciência. Se eu não acreditasse no meu elenco, quem iria acreditar? O Marcelo Oliveira chegou depois e ele não pode avaliar o que falei naquela época”.

Coritiba lança nova camisa e presidente Bacellar promete vaga na Libertadores

Resposta a Mário Celso Petraglia 

“Primeiro, Petraglia não tem condições de falar de incompetência e ele que cuide da vida dele. Nós não emprestamos o Couto Pereira porque o contrato era de reciprocidade e o Atlético não emprestou a Baixada porque não precisamos. A Justiça nos deu ganho de causa. Se ele perdeu, a Justiça mostrou que o incompetente não sou eu. Você acha que não iríamos jogar no Couto se o gramado não tivesse condições? Petraglia deveria cuidar do clube dele e esquecer o Coritiba”.

Petraglia ataca diretoria do Coritiba após rebaixamento: “Aqui se faz, aqui se paga”

Jogadores pouco aproveitados

“Os treinadores poderiam ter olhado alguns jogadores com outros olhos. São os casos do Daniel e do Baumjohann. Eles poderiam ter sido utilizados antes e achavam que era lento. Daniel se machucou no treinamento, mas não estava machucado quando veio do São Paulo”.

Cutucada aos treinadores

“O presidente não é treinador, nem escala o time. Não faz as invenções que alguns treinadores fizeram, não bate pênalti, nem defende a bola. É difícil analisar um todo porque você acredita no jogador e no treinador e só de acreditar não adianta. Conversei com o Marcelo, assim como tive com Pachequinho e Carpegiani, e existe muita teimosia por parte do treinador que tem que colocar esse atleta. Mesmo não concordando, o técnico tem liberdade para colocar quem ele quer. Temos alguns atletas que poderiam ser trabalhados melhor e, infelizmente, não foram”

Renovação de contratos 

“Alguns jogadores que estão terminando o contrato e nem procuramos para renovação. Outros jogadores que procuramos e se vão ficar, se aceitarem as condições do clube. Se não aceitarem, que procurem outros clubes”.

“Temos prazo para terminar a compra do Galdezani. Santos estava interessado nele, Modesto pediu preferência, mas tem que esperar a eleição. Outros clubes estão interessados”.

Avaliação dos três anos na presidência

“Quando aceitamos assumir o Coritiba, aceitamos para reestruturar o clube. Tentamos no futebol, mas sabíamos que seria pouco tempo em três anos. No primeiro ano, não tínhamos peças de reposição e tivemos desfalques contra o Operário. Não é desculpa, nem nada, mas perdemos as finais porque os outros times foram melhores. No terceiro ano, tivemos peças de reposição, ganhamos a primeira partida da final por 3 a 0, mas, infelizmente, não fomos na Copa do Brasil e Brasileiro. Não vale nada a reestruturação administrativa e sim, resultado em campo. Infelizmente, não tivemos resultado em campo”.

Eleições do próximo sábado

“Que a eleição acabe no dia 09 e depois não tenha situação e oposição. Apenas um pensamento integrado para o Coritiba. O que sofremos durante esse período é ter situação e oposição e até alguns da situação que criticaram sem saber do nosso trabalho”.

Avaliação do trabalho do gerente de futebol Alex Brasil 

“Trabalho do Alex Brasil é muito bom. Fez um trabalho excepcional. Pedroso é um trabalho voluntário e é uma pessoa que passa a mão na cabeça dos jogadores, agrada todo mundo e, infelizmente, esse agrado não deu resultado nenhum”.

Arrependimento pela contratação de Belletti?

“Diretores e comissão de base vieram visitar o Coritiba, abriu o espaço para jogarmos o Mundial sub-17. Os contatos que o Belletti fez para levar o nome do Coritiba para o mundo inteiro já é o bastante”

Construção de novo estádio

Alceni Guerra

“Tenho a convicção que nosso estádio já deu o que tinha que dar para o Coritiba. É desconfortável para pessoa com qualquer deficiência. É um estádio que vai custar muito caro para reformas. Tínhamos um veto da Prefeitura e a gestão Bacellar conseguiu passar por esse veto. O projeto é de um belíssimo estádio que ainda não existe no Brasil. Sempre tivemos o maior e melhor estádio do Paraná e não temos mais. Temos que reconstruir essa história do Coritiba. Vou passar para o próximo presidente a atual situação. A decisão de construir estádio será da próxima diretoria. Não tivemos financiamento de Copa do Mundo e precisamos ter pés no chão”.

Assista a entrevista da diretoria:

Entrevista coletiva da diretoria do Coritiba.

Posted by Portal Banda B on Tuesday, December 5, 2017