Mais próximo da Libertadores que qualquer um dos times que ainda lutava, o Coxa só dependia de si para chegar à fase prévia da competição continental. A uma vitória da classificação, porém, o time não conseguiu se desvencilhar da forte marcação do Atlético e perdeu o clássico decisivo que encerrou o Campeonato Brasileiro 2011.

A vitória do Furacão não livrou o time do rebaixamento à Série B, mas estragou a festa da torcida alviverde, que esperava ansiosa uma possível volta do time à Libertadores após oito anos. “Nós não conseguimos marcá-los bem no primeiro tempo. Jogamos muito pouco pra aquilo que o Coritiba vinha fazendo”, lamentou Marcelo Oliveira. “O adversário marcou muito, tinha mais inspiração”, completou.

Com o meio campo comprometido, o Alviverde foi presa fácil para o empenhado Atlético que, já rebaixado e sem nada a perder, partiu pra cima e resolveu o jogo em uma cobrança de falta, no segundo tempo. “Numa bola parada, que é uma jogada potencial do Atlético, descuidamos e levamos o gol”, comentou Oliveira.

Pela segunda vez em 2011, o Coritiba foi colocado frente a frente com a Libertadores e deixou a chance de voltar à competição escapar. “O Coxa seria o único time que subiu da Segunda e que chegaria à Libertadores”, lembrou o técnico, ao rejeitar a possibilidade de o time ter sido interessado na vitória.