Por João Pedro Alves e Osmar Antônio

Primeiras vítimas dos problemas musculares do elenco do Coritiba nesta temporada, Geraldo e Roni ainda devem desfalcar a equipe alviverde em algumas rodadas do Campeonato Paranaense. Quantas exatamente é uma incógnita. Segundo o coordenador do departamento médico do clube, dr. Walmir Sampaio, a recuperação vem acontecendo gradualmente, mas o retorno da dupla aos gramados ainda não tem previsão para acontecer.

(Foto: Divulgação/Coritiba)

Geraldo ainda não sabe quando volta a jogar; retorno depende de evolução individual (Foto: Divulgação/Coritiba)

“Eles estão em processo de recuperação”, disse Sampaio, resumindo qual a situação dos atletas em entrevista à Banda B. “O Roni e o Geraldo tiveram lesões musculares parecidas na parte posterior da coxa. O motivo disso é serem atletas de velocidade, então ficam predispostos a ter esse tipo de contusão”, explicou.

As lesões podem ter sido semelhantes, mas eles não voltarão a ficar à disposição do técnico Dado Cavalcanti no mesmo prazo. A começar por terem sentido a contusão na coxa em momentos distintos: Roni se lesionou na sexta rodada do estadual, no dia 14 de fevereiro, contra o Rio Branco; enquanto Geraldo foi parar no DM na partida frente ao J.Malucelli da rodada seguinte, no dia 19.

Outro motivo, mais técnico de acordo com o médico coxa-branca, é a gravidade diferente dos problemas. “O Roni teve uma lesão grau 1, mais leve, e já está em um estado mais avançado (da recuperação). A do Geraldo foi um pouco mais grave, grau 2, que demora de uma semana a dez dias a mais para tratar”, pontuou, sem dar nenhum palpite de quando vestirão novamente a camisa alviverde.

Enquanto isso não acontece, Dado Cavalcanti terá que se virar sem um jogador de velocidade no ataque – as peças do elenco, como Julio César, Keirrison e Anderson Aquino, têm características diferentes. Outra opção, já adotada na última rodada, é atuar apenas com um atleta de referência na frente.