Sem jogar à quase dois meses, o zagueiro Emerson, que quebrou o dedão do pé na partida de ida da Sul-Americana, contra o Grêmio, no final de julho, acabou ganhando uma lesão complicada.

Segundo o preparador físico do Coritiba, Glydiston Ananias, a lesão foi bastante complexa. “A lesão foi em no osso e é uma região que sofre muita sobrecarga, independente de treinamento ou não, porque até mesmo caminhando aquela parte é forçada e a inflamação ainda está sendo tratada”, contou.

Glydiston lembrou ainda que Emerson tentou voltar aos treinamentos na última semana, mas voltou a sentir dores. “O departamento médico do Coritiba tem trabalho em período integral com ele e nós tentamos fazer um retorno com ele na última semana, mas o nosso trabalho é progressivo, e ele acabou sentindo dores ainda, então conforme ele for melhorando, as dores diminuindo, ele vai voltando ao treinar”, disse.

Além de Émerson, o preparador comentou também sobre Pereira, Roberto e Rafinha. “Nós temos em torno de 10 semanas para acabar o campeonato, então, o que temos que fazer á antecipar algumas etapas do processo de recuperação. Por exemplo na segunda-feira (17), o dia foi de folga, mas o Roberto e Pereira treinaram e hoje eles se integraram ao elenco e se o departamento médico libere, o treinador pode até usá-los”, finalizou.