Divulgação/Coritiba
Bem marcado, Leonardo pouco produziu no clássico Atletiba; veloz, Guerrón infenizou a esquerda e fez o gol da vitória rubro-negra

A Libertadores insistiu em bater na porta do Coritiba em 2011. Entretanto, o time não foi feliz em nenhuma das duas oportunidades que teve de abraçar a vaga. Em junho, o Alviverde disputou a final da Copa do Brasil embalado pela recém conquistada sequência de 24 vitórias consecutivas entre a competição nacional e o Campeonato Paranaense, mas nem após perder para o Vasco no Rio de Janeiro e conseguir um vitória histórica no Couto Pereira, conseguiu sagrar-se campeão e conquistar a classificação.

No Brasileirão, as más apresentações fora de casa impediram que o time deixasse a zona intermediária da tabela. Na penúltima rodada, porém, uma combinação de resultados e um gol salvador de Jeci sobre o time misto do Avaí, aos 40 minutos do segundo tempo, colocou o time na quinta colocação do Brasileirão, posição agraciada com o último carimbo para a Libertadores.

Com um pé na competição, o time só dependia de uma vitória no clássico Atletiba para conquistar o objetivo central de 2011. Mas contra um Atlético empenhado a vencer para tentar a sua permanência na Série A, o grupo de Marcelo Oliveira não conseguiu a vitoria na Arena da Baixada e viu, mais uma vez, o sonho de Libertadores escapar pelos dedos.

Em um lance de bola parada, Paulo Baier cruzou na medida e Guerrón, de cabeça, decretou a vitória do Furacão por 1 a 0 na Arena da Baixada e colocou um ponto final na esperança de Libertadores para o Coxa em 2011.