Divulgação/Coritiba
Para treinador do Coritiba, resultado no Morumbi não pode ser considerado ruim

O segundo empate consecutivo sem gols do Coritiba foi, de certa forma, comemorado. Em um jogo sofrível e pouco movimentado, o Alviverde teve em Vanderlei o seu principal jogador em campo. Com defesas importantes, o goleiro parou as jogadas de ataque do Tricolor e aumentou ainda mais a série de sete rodadas sem vencer no Brasileirão.

“Foi um jogo extremamente difícil. O São Paulo chegou algumas vezes e o Vanderlei precisou fazer excelentes intervenções”, analisou o técnico Marcelo Oliveira. “O futebol é assim: tem o confronto, os equilíbrios dos confrontos e também tem a técnica. O Coritiba veio aqui e tentou jogar, mas estava muito marcado. Tentamos chegar a todo o tempo”, completou o treinador, definido o que foi a tônica do jogo: pouca técnica e muita marcação dos dois lados.

Preso no meio campo pela marcação adiantada do São Paulo, o Coxa abusou dos chutões e não se empenhou na busca pelas sobras, facilitando a vida da defesa paulista. “Nós tivemos a bola do jogo com o Léo Gago, e ele podia ter preparado melhor antes de chutar”, destacou Oliveira. “Defendemos bem e atacamos para tentar ganhar, o resultado não era o que esperávamos, mas está de bom tamanho pela dificuldade da partida”, avaliou, satisfeito.

A sete rodadas do fim e a oito pontos do G5, o Coxa ainda tem possibilidades matemáticas na briga pela classificação à Libertadores. E ainda que, na prática, a situação do Coxa nessa busca não seja das mais favoráveis, o treinador garante que a luta continua. “Ainda é possível chegar, tudo é possível quando a contabilidade permite e vamos honrar a camisa do Coritiba e lutar até o final”, finalizou.