Monique Vilela/Banda B
Treinador quer que time resolva os jogos com mais rapidez

O empate com o Atlético foi definido, por grande parte do elenco coxa-branca como insuficiente e até injusto. Jogando em casa, o time de Marcelo Oliveira foi mais ofensivo, mas foi barrado, novamente, pelos seguidos erros de finalização.Ao todo, o Coritiba chutou 20 vezes contra o gol de Renan Rocha, obrigando o goleiro do Atlético a praticar três defesas salvadoras. A pressão, porém, não foi convertida em bola na rede.

“Não ficou de bom tamanho por tudo o que o Coritiba fez”, lamentou o técnico Marcelo Oliveira, que destacou a falta de pontaria do ataque.”Nós permitimos que eles fizessem o gol. Não matamos o jogo quando tivemos a chance, Estávamos absolutos no jogo e demos aquela oportunidade. Mais uma vez, a gente tem que lamentar”, completou, confessando que, em tratando de um clássico, o resultado não é de todo ruim.

Mesmo com um empate a se lamentar, o treinador também elogiou a entrada de Willian Leandro, estreante do clássico. “Nós tivemos que estruturar o time com uma improvisação. O Willian [Leandro] é muito dedicado, muito sério”, apontou.Como planos para o segundo turno, o treinador aponta mais poder de decisão como prioridade. “Temos que lutar mais pra definir o jogo sem deixar tanta oportunidade para o adversário”, finalizou.