Os tempos de sofrimento gerado pelo rebaixamento em 2009 já são parte do passado coxa-branca. Pelo menos é o que garante o goleiro e um dos líderes do Coritiba Edson Bastos. A poucos dias de de enfrentar o Vasco pela fase final da Copa do Brasil, o Coritiba está focado e os jogadores sabem que o feito pode coroar a campanha como uma das mais importantes na história alviverde.

Para Bastos, o jogo em São Januário será encarado como uma prova de fogo, mas o goleiro acredita em igualdade de condições. “O momento é importante pro clube e esperamos ter a competência de passar mais essa prova de fogo. Agora se trata de uma decisão e as forças se igualam”, acredita o jogador, ressaltando o estilo agressivo de jogo já característico do Alviverde como grande diferencial pra tentar o resultado no Rio de Janeiro. “Temos que respeitar, mas não temer o Vasco”, aponta.

Mais que conquistar uma vaga na Libertadores da América, vencer a Copa do Brasil siginificaria a redenção para o Coritiba, que nos últimos cinco anos foi castigado com a Série B do Campeonato Brasileiro e a maior punição já aplicada a algum clube pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, pelo episódio lamentável de violência do dia 6 de dezembro de 2009. “Nós sabemos o que representa essa partida. Agora cabe a nós dar essa alegria por nosso torcedor, que há dois anos sofreu muito com a queda. Temos a possibilidade de dar esse presente a ele”, frisa o goleiro, marcado pelas lembranças recentes no clube. “Passa tudo pela nossa cabeça: do momento da queda ao momento da consagração; o momento é bom e a gente tem que aproveitar. Temos a chance de apagar 2009”, finaliza.