Por Pedro Melo com informações de Osmar Antônio

Pachequinho cobrou vitória "o mais rápido possível" do Coritiba. (Monique Vilela/Banda B)

Pachequinho cobrou vitória “o mais rápido possível” do Coritiba. (Monique Vilela/Banda B)

O Coritiba ficou mais uma vez no empate jogando no Couto Pereira e não saiu do zero com o Botafogo. Em oito partidas como mandante, o Alviverde venceu apenas três vezes e tem quatro empates, além de uma derrota.

A sequência de tropeços em casa deixou o técnico Pachequinho preocupado que espera a recuperação dos pontos perdidos como visitante. “Preocupa. Em casa, temos que conseguir a vitória sempre e por isso, não dá para ficar apenas se defendendo. Temos que ter uma postura sempre ofensiva e se não ganhar em casa, temos que buscar fora”, comentou.

“Única forma que temos para mudar é ganhar os jogos. Volto a frisar que a vitória tem que vir o mais rápido possível e isso também passa por ganhar em casa. Já estamos passando dos limites com os empates”, acrescentou o treinador coxa-branca.

A principal novidade na escalação foi a presença de Kazim-Richards no ataque ao lado de Kleber e o técnico já esperava que o Botafogo ganhasse alguns lances no meio-campo. Entretanto, Pachequinho destacou que o entrosamento da equipe com a nova formação virá na sequência do Brasileirão. “Claro que a gente expõe a equipe em algum momento principalmente no meio-campo. Só nos jogos que consegue entrosamento entre os dois atletas”, disse.

A próxima partida do Alviverde é somente no dia 18 de julho contra o Atlético-MG, na Arena Independência, o comandante afirmou que pretende utilizar o período sem jogos para corrigir os erros da equipe. “A gente precisa trabalhar em cima do que fez errado e temos agora uma semana cheia. Mais um jogo que a gente não tomou gol e são cinco jogos sem derrota. Temos que sempre trabalhar para melhorar a equipe”, finalizou.