Divulgação/Coritiba
Goleiro aponta que força de Edson Bastos é primordial para a boa fase frente à meta coxa-branca

Desde que assumiu a titularidade na meta alviverde, o goleiro Vanderlei tem mostrado que todo o trabalho feito enquanto reserva imediato de Edson Bastos valeu a pena. Dono da camisa 1 desde a 21ª rodada, Vanderlei sofreu três gols nas últimas três partidas, mas foi justamente ao defender um pênalti no jogo contra o Internacional em pleno Beira-Rio que o goleiro viveu seu melhor momento no Campeonato Brasileiro.

E o novo titular provou que não só de trabalhos físicos vive um bom goleiro. Empenhando, ele admitiu que estuda os batedores e a forma como batem as penalidades, tudo para não ser surpreendido nas cobranças. “Eu estudei algumas cobranças do Kleber. Tem que estudar os batedores. Nos treinamentos, o Marcelo [Giacomelli, preparador de goleiros] também orienta a gente”, apontou.

A atuação, que contou também com uma defesa de mão trocada ainda no primeiro tempo, foi ressaltada pelo treinador Marcelo Oliveira após o jogo. “O conjunto tem que ser destacado, sempre, mas o goleiro é muito bom. Achei que a bola tocou na mão do Damião antes da falta, mas o Vanderlei acabou corrigindo o erro do árbitro”, definiu Oliveira.

Decisivo, Vanderlei não deixa de destacar a amizade com o agora reserva Edson Bastos e ainda não se enxerga como titular absoluto no Verdão. “A gente trabalha pra isso, mas eu sei que o Edson Bastos é um grande goleiro e tá trabalhando bem. Ele me deu muita tranquildiade, é um grande amigo, sabe que tinha que me dar força nesse momento, porque eu não jogava há mais tempo”, finalizou o goleiro.