Contestado durante o segundo turno, Marcelo Oliveira esteve em uma tarde iluminada no Atletiba, justamente no dia em que entrou no Top 5 dos técnicos que mais dirigiram o Coxa. Renan Oliveira e Lincoln, dois jogadores que entraram ao longo da partida, balançaram as redes. Antes disso, logo no início, Éverton Ribeiro, opção do treinador para começar jogando, abriu o placar.

Na entrevista coletiva, o comandante comemorou o sucesso das substituições, mas minimizou o chamado “dedo do treinador”. “Às vezes as mudanças são necessárias porque os jogadores se desgastam. Fiz o que achei que era melhor, felizmente ganhamos e assim as alterações são destacadas”, afirmou.

As presenças de Lucas Mendes e Éverton Ribeiro foram confirmadas pouco antes da partida. Sobre isso, Marcelo Oliveira explicou que era apenas uma estratégia. “Acreditamos na força da união, do trabalho. Quando se esconde o time não é por causa de vocês (imprensa), apenas para que no início do jogo possa ser criado algo que seja favorável”, explicou.

Satisfeito com a atuação da equipe no 4 a 2, agora o treinador passa a projetar os próximos passos do Coritiba. “O time foi bem como um todo. Primeiro temos a Copa do Brasil e depois temos que focar na final porque serão jogos tão emocionantes como este”, disse.

Na quinta-feira (26), o Coxa enfrenta o Paysandu no Couto Pereira. No domingo (29), cumpre tabela contra o Roma, em Apucarana, pela última rodada do segundo turno. As finais estão marcadas para os dois domingos seguintes, dias 6 e 13.