Por Esporte Banda B

Votação na CBF provou que clubes estão mais unidos do que nunca (Renato Baldissera/Eleven/Estadão Conteúdo)

O congresso técnico da CBF votou, nesta segunda-feira (20), a favor da proibição da grama sintética no Brasil a partir de 2018, conforme proposto por Eurico Miranda, presidente do Vasco da Gama. A votação teve cinco fotos a favor do piso artificial e 15 contrários. Entre os favoráveis, estava o Coritiba, rival do Atlético, que manteve a postura de parceria com o Rubro-Negro.

Além do Furacão e do Coxa, outros três clubes votaram a favor do gramado sintético no país: Palmeiras, Sport e Bahia. O Coritiba, entretanto, propôs que houvesse permissão para que as equipes pudessem realizar um treinamento na Arena da Baixada na véspera do jogo contra o Atlético, o que acabou aprovado pela comissão.

No congresso no Rio de Janeiro, o Furacão foi representado por um advogado do clube, Rodrigo Gama Monteiro, enquanto o presidente Rogério Bacellar foi o representante alviverde no evento realizado na sede da Confederação Brasileira de Futebol.

A ideia de proibição do piso sintético no Brasil partiu do presidente do Vasco, Eurico Miranda, e foi aprovada pelos outros 15 clubes da elite do futebol brasileiro, fazendo com que o gramado esteja vetado no país a partir de 2018. O Atlético prometeu ir até a FIFA – que autoriza a grama artificial em todo o mundo – para buscar reverter a decisão.