Divulgação/Coritiba
Mesmo com maior posse de bola, ataque do Coritiba parou nas boas defesas do goleiro Marcelo Lomba

“Tá difícil jogar contra o Bahia, eles tão bem postados atrás”. A análise do meia Rafinha no intervalo do jogo deste domingo (16) foi certeira. A postura do time de Joel Santana não mudou no segundo tempo e foi decisiva definir o placar de 0 a 0 no Couto Pereira, após quase um ano – a última vez havia sido contra o Paraná Clube, ainda pela Série B, no dia 23 de outubro de 2010. Soberano, tanto na posse de bola como nas jogadas de ataque, o Alviverde sofreu nos arremates e desperdiçou a chance de se aproximar do G5.

Com o empate, o Coxa caiu para a 11ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 41 pontos e a nove do Fluminense, quinto colocado. Na próxima rodada, o Verdão enfrenta o São Paulo, no Morumbi. Já o Bahia tem parada dura diante do vice-líder Vasco, no Pituaçu.

Rafinha comanda criação e ataque do Coritiba

Com três vitórias e cinco empates como visitante no currículo, o Bahia encontrou um Coriitba obstinado e manter sua hegemonia no Couto Pereira. Ao lado de Everton Costa, que entrou para substituir o meia Tcheco, lesionado, Rafinha foi o comandante ofensivo do Coxa na etapa inicial, tanto nas jogadas individuais, como na criação. Ambivalente, o jogador fez das chegadas à linha de fundo uma das marcas principais do Alviverde no início do jogo.

Se do lado alviverde o destaque era o meia direita, para o Bahia, o principal jogador atua pela esquerda e atende por Dodô. Veloz e com chutes potentes, o lateral infernizou a defesa coxa-branca e teve nos pés duas grandes chances de abrir o placar para o Tricolor de Aço, ainda que a posse de bola do Alviverde fosse maior. Dodô também se destacou nos cruzamentos, principalmente no fim da etapa inicial, quando o Bahia apostou nas bolas aéreas.

Além de um duelo marcado pela disputa intensa de bola, o primeiro tempo ainda teve um acidente envolvendo Bill e o zagueiro Paulo Miranda. Ao ser atingido pelo pé do jogador do Bahia, o atacante chegou a ficar desacordado no gramado, mas, depois de avaliado pela equipe médica, retornou à partida, pelo menos até o fim da primeira etapa.

Erros na última bola determinam o placar

O Coritiba do segundo tempo voltou tão disposto a pressionar como o time da etapa inicial. Diante do fechado Bahia, restou ao Alviverde apostar nos chutes de longa distância. Gil, deslocado para a direita para substituir Jonas, que deixou o campo lesionado, ficou mais solto para subir ao ataque e fez o que pode para servir o ataque pelo lado do campo.

Aos 10, Marcos Aurélio mandou a bomba e foi parado pelo goleiro Marcelo Lomba, no que foi a primeira boa oportunidade do segundo tempo. O Tricolor de Aço chegou a se fechar no campo de defesa, só esperando a chance de contra atacar o Alviverde, e, sob o comando de Souza, não desistiu de atacar. Com o domínio na posse de bola, o Coritiba não mostrou inspiração nos arremates e fez, no Couto Pereira, uma de suas apresentações mais controversas. Presença constante na área do Bahia, o Verdão não encaixou a última bola, empatou sem gols em casa, após quase um ano, e desperdiçou a chance de se aproximar do grupo de classificação à Libertadores.

FICHA TÉCNICA

Brasileiro 2011 – 30ª rodada

Coritiba 0x0 Bahia
Local: Couto Pereira
Data: 16/10/2011
Horário: 18h

Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima/ RS
Assistentes: Tatiana Jacques de Freitas/ RS (Asp. FIFA) e Rafael da Silva Alves/ RS

Coritiba: Vanderlei; Jonas (Davi), Jeci, Emerson, Willian Farias, Lucas Mendes (Eltinho), Gil,Everton Costa,Rafinha eMarcos Aurélio;Bill (Leonardo).
Técnico: Marcelo Oliveira

Bahia:Marcelo Lomba; Marcelo Lomba, Marcone (Camacho), Paulo Miranda, Danny Morais, Dodô (Maranhão), Fahel, Fabinho, Hélder, Ricardinho, Jones (Lulinha) e Souza.
Técnico: Joel Santana

Cartões Amarelos: não houve

Cartões Vermelhos: não houve.

Gols: não houve.

Público total: 13.633
Público pagante: 11.896
Renda: R$ 140.820,00