Presidente Samir Namur e técnico Eduardo Baptista durante a apresentação. (Osmar Antônio/Banda B)

Apresentado como comandante do Coritiba para a sequência da Série B, Eduardo Baptista afirmou que o Coritiba precisa ser protagonista em campo para conquistar o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. Ele terá mais de uma semana para preparar o elenco até a próxima rodada contra o Criciúma, no dia 27 de abril, no estádio Couto Pereira.

“O Coritiba tem que ser o protagonista, mas não pode achar que vai ser fácil. Se tiver imposição, time organizado e encaixado, as coisas andam bem e vai subir. Até bati um papo com os jogadores que não vai ser fácil o acesso. Terá muita luta para conseguir. O Coritiba tem que incorporar que é o time grande e um dos favoritos. O Coritiba precisa ter a posse de bola, ser agressivo e ser humilde de se defender quando estiver em um mau momento na partida”, declarou Baptista.

O treinador acompanhou a primeira vitória do Coritiba na Série B sobre o Atlético-GO, na última terça-feira (17). Ele destacou a coragem dos jogadores para conseguir o resultado e afirmou que dará continuidade a alguns conceitos de Sandro Forner. “Se achar que vai ser fácil, é o primeiro ponto para não alcança-lo. Eu vi um time com perfil de muita coragem para buscar o resultado mesmo com as dificuldades. Dentro do contexto da Série B, muitas vezes a técnica precisa ser colocada de lado e se superar”, comentou.

“É trabalhar e organizar. O Sandro deixou um legado importante, jogadores de personalidade e um sistema trabalhado. Vamos buscar evoluir em cima desse sistema. Veremos um Coritiba mais forte muito em breve. Teremos nove dias para treinar e isso será importante para colocar as filosofias em prática”, afirmou.

Defesa do trabalho a longo prazo

O trabalho de maior sucesso de Eduardo Baptista foi quando comandou o Sport, entre 2014 e 2015, e conquistou os títulos do Campeonato Pernambucano e Copa do Nordeste. Ao chegar no Coritiba, o comandante enxergou potencial para continuar o trabalho por um longo tempo. “O objetivo principal é o acesso, mas enxergo um trabalho a longo prazo no Coritiba. O foco é para subir, mas tem um foco além disso que é o trabalho a longo prazo e é o meu objetivo aqui”, disse.

Já o presidente Samir Namur também defende trabalhos longos e explicou que o desempenho nas finais do estadual e também na estreia da Série B resultou na mudança do comando. “Nossa filosofia de técnico é para trabalho a longo prazo. O contexto pós-eleições do Coritiba muda bastante por conta do rebaixamento. Uma série de ressalvas precisa ser feitas pela urgência do acesso pelo ponto de vista financeiro. Não houve catástrofe no vestiário, claro que houve um ou outro problema, mas esse não foi o motivo. O motivo principal foi o diagnostico da postura do time em campo e a forma que jogou na estreia, principalmente nas finais e também na estreia, colocaria em risco a missão”, falou.

Assista à entrevista do técnico Eduardo Baptista e do presidente Samir Namur:

O repórter Osmar Antonio acompanha a entrevista do técnico Eduardo Baptista e do Presidente Samir Namur no Couto Pereira.

Posted by Portal Banda B on Wednesday, April 18, 2018