Augusto de Oliveira confirmou que clube buscará alternativas no mercado (Divulgação/Coritiba)

Preocupado com o atual momento da equipe, que vem de constantes oscilações no início da temporada, o diretor de futebol do Coritiba, Augusto de Oliveira, não descartou a chegada de mais reforços para a sequência do ano. Em entrevista coletiva após a derrota para o Foz do Iguaçu, neste domingo (11), no Couto Pereira, a quarta consecutiva do time, o dirigente comentou sobre possíveis chegadas e também saídas de jogadores já pensando na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

“Toda e qualquer contratação é com a intenção de fazer com que os resultados aconteçam dentro e fora de campo. É claro que existe planejamento, ele vai ser respeitado e o Coritiba é muito grande para ficarmos a mercê de algumas críticas, principalmente no que se refere a atletas que em algum momento não deram o retorno técnico esperado. O planejamento existe, mas não é engessado para nos impossibilitar de algumas trocas”, afirmou o dirigente alviverde.

Sem revelar nomes que podem deixar o clube, Augusto de Oliveira ressaltou que análises serão feitas e que atletas do elenco poderão ser negociados. “Eu respeito o posicionamento do Sandro [Forner] e não vamos expor nenhum atleta a nível individual. Entretanto, nós temos uma equipe capacitada suficiente para analisar técnica e taticamente para tomarmos as devidas providências. Se os resultados ou o nível de jogo acaba não sendo a contento, nós ligamos o alerta e na medida do possível vamos fazer as devidas alterações, sem expor nenhum atleta”, disse.

Já pensando na caminhada do clube na Série B, buscando o retorno à elite do futebol nacional, Augusto de Oliveira destacou a importância de buscar contratações de nível superior às que foram feitas até o momento para reforçar o elenco do técnico Sandro Forner. “A gente pensou em uma estratégia de campeonato estadual, fazendo algumas experiências, tendo em vista que o nosso objetivo maior é a Série B. Nós pensamos em algumas contratações de nível talvez superior do que as que foram feitas até agora. Mas isso também não garante que o retorno técnico irá acontecer com absoluta certeza. Isso depende bastante do trabalho e do perfil desses atletas que venham a ser incorporados”, concluiu.