Greyson Assunção/Banda B
Para Ernesto Pedroso, atual vice-presidente é candidato natural ao cargo de presidente do Coritiba

Na zona intermediária da tabela do Campeonato Brasileiro, o Coritiba já planeja o seu próximo ano no futebol. Com a proximidade das eleições para a presidência do clube, a gestão atual já definiu o projeto que deve nortear as ações da estrutura ao futebol em 2012, com um teto de gastos de R$ 120 milhões. E se os planos para o setor admnistrativo do clube estão escancarados em documento, o futuro político do clube pode ser considerado segredo, pelo menos oficialmente. Mesmo sem a confirmação da candidatura do atual vice-presidente do clube, Vilson Ribeiro de Andrade, é ele quem desponta como favorito a assumir a vaga ocupada por Jair Cirino.

Ainda sem panorama definido, já que o prazo para as inscrições de chapas vai até o dia 10 de novembro, o cenário da alta cúpula do Alviverde pende à eleição do dirigente, destaque na administração do clube desde a trágica queda à Série B, em 2009. Ribeiro ainda não confirma a candidatura e muito menos a intenção de ser o mandatário do clube, mas segundo o diretor Ernesto Pedroso, o dirigente tem apoio irrestrito da diretoria.

“É difícil falar de política. O candidato natural seria o Vilson, que tomou as rédeas do clube, sem demérito ao Jair [Cirino, atual presidente do clube]. Mas isso vai se definir em dez ou quinze dias”, disse Pedroso à Banda B. O dirigente garantiu que ainda não há a formação de nenhuma chapa. “Não houve convite. Tudo o que se está falando é especulação”, apontou.

Permanências e estrutura

Nesta semana, a diretoria já demonstrou o interesse em manter a comissão técnica para o ano que vem. Pedroso explica que a vontade da alta cúpula atende às exigências do que se considera tendência no futebol moderno. “Existe interesse nosso e dele. Seria interessante ele continuar. O futebol moderno exige continuidade, senão nada se realiza”, justifica, entre elogios ao técnico Marcelo Oliveira.

Outro que deve permanecer no corpo de funcionários do clube é o superintendente de futebol Felipe Ximenes. “O Ximenes já provou a qualidade dele com todas as contratações que fez”, destacou o conselheiro, apontando as conquistas da Série B, Bicampeonato Paranaense e a final da Copa do Brasil como exemplos da boa presença do responsável pelas contratações no Coxa.

No próximo dia 12, o Coxa comemora seu 102º aniversário e também lança a pedra fundamental do seu novo centro de treinamentos. O terreno foi comprado neste ano e representa, segundo Pedroso, o início de novos tempos para o time do Alto da Glória.”Além dos jogadores que nós conseguimos agregar ao clube, com passes e direitos federativos, a maior conquista do Coritiba foi a compra dessa área que vai abrigar o CT”, finalizou.